Estética
O paciente determina o resultado da sua cirurgia???


 Muitas pessoas acham que são máquinas e, ao se submeterem a um procedimento cirúrgico, o resultado será determinado exclusivamente pelo cirurgião e pela qualidade dos produtos, equipamentos e instrumentais utilizados. Como seria bom!!!

O corpo humano é um ser vivo influenciado pelo ambiente e interage com microorganismos todo o tempo. Por este motivo, o sucesso de uma cirurgia é determinado por três fatores: 1. A capacidade do corpo de reagir ao trauma cirúrgico, 2. A qualidade do cirurgião e materiais utilizados e três. Os cuidados do paciente após a cirurgia.

Sem dúvida, o cirurgião influenciará em todos os fatores. É obrigação do médico avaliar a condição clínica do paciente e propor uma cirurgia adequada a ele, influenciar na redução de fatores de risco (como parar tabagismo ou uso de anticoncepcionais), determinar os locais apropriados para o procedimento e orientar (inclusive por escrito) os cuidados pós-operatórios que deverão ocorrer. Entretanto, o paciente fará a maior interferência em todo o processo. Involuntariamente, pode haver a presença de alterações da cicatrização como o queloide ou as deficiências de fibras colágenas, que podem não ser evidentes até aquele momento. Mas o paciente será o protagonista da história em dois momentos: na escolha do cirurgião e nos cuidados após a cirurgia. Nos casos de procedimentos estéticos, existe o site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica no qual toda a população pode consultar o cadastro de todos os cirurgiões plásticos habilitados no Brasil.


 
Quero uma prótese de 300mL perfil alto!

As pacientes que buscam cirurgias de aumento, principalmente a colocação de próteses de silicone nas mamas, chegam à consulta determinadas.

Quase todas se encorajaram após ver uma amiga ou conhecida ter realizado a cirurgia, apresentado um resultado positivo e passar a chamar a atenção (até mesmo pela autoestima elevada!). Logo, a paciente acha que precisa de uma prótese igualzinha a da amiga, apesar de não ter a mesma constituição corporal.

Precisamos entender que existem mais de uma centena de combinações de formato, perfil, enchimento, textura e tamanho de prótese. E isto não é por um acaso!

Simplificando, o cirurgião plástico avalia a anatomia do tórax e das mamas (principalmente as deformidades existentes: diferenças de tamanho, desvios de aréolas etc) e determina o diâmetro e o desenho da base da prótese.

Neste momento, cada cirurgião tem sua tática para escolher o tamanho: alguns usam enchimentos ou próteses no consultório para simular o resultado final e deixar a cargo da paciente a opção de volume e outros preferem moldes durante a cirurgia (paciente anestesiada).

É o volume da prótese que definirá se o perfil é baixo, médio, alto ou superalto!! O papel do cirurgião plástico é sugerir o tamanho mais apropriado,considerando a anatomia e as expectativas da paciente. Entretanto, a maioria das pacientes têm medo de ficarem extravagantes e tendem a escolher um tamanho pequeno. Fica a dica: mesmo as pacientes que aceitam a sugestão maior, costumam achar que poderiam ter ousado um pouco mais!

 

 Dr Mauro Henrique Milman – CRM 101.917

Cirurgião Plástico – Membro da SBCP

Dúvidas e sugestões: www.drmaurohenrique.com.br

Curta no Facebook: Dr Mauro Henrique Cirurgia Plástica

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>

Página 5 de 7

Indique !