Comportamento
É cultural, é questão de gênero, é machismo, é feminismo! Vamos falar sobre homens e mulheres numa relação amorosa

Desde muito cedo as mulheres são ensinadas a seguirem um padrão social dentro das relações afetivas. Embora as coisas tenham mudado muito nos últimos anos, ainda há uma certa imposição por parte de seus companheiros, família e da própria sociedade.

Com a ascensão do movimento feminista – movimento social e político que tem como objetivo conquistar o acesso a direitos iguais entre homens e mulheres – elas vêm se empoderando e mostram que não engolirão mais sapos dentro e fora de seus relacionamentos.

O machismo, por sua vez, é estrutural e isso se dá porque os meninos, muitas vezes, crescem ouvindo o discurso equivocado de que são melhores do que as meninas, o que acaba prejudicando a ambos. Na fase adulta, quando começam a se relacionar, eles tendem a reproduzir, infelizmente, esse mesmo discurso, como por exemplo, censurando as roupas da companheira, não dividindo as tarefas domésticas e a criação dos filhos ou a impedindo de ser independente financeiramente.

"Numa relação aonde prevalece o machismo, observamos uma mulher desprovida de liberdade e de realização de seus desejos (vontades), limitando-a a ser conduzida pelo seu parceiro. Para combater essa relação, muitas feministas procuram um distanciamento de atitudes cavalheirescas da parte dos homens, pois atitudes como atenção, respeito e cuidado, podem ser confundidos com machismo", explica a psicóloga Lucia Amaral.

Companheirismo acima de tudo

Segundo Lucia, dentro de uma relação é fácil detectar um comportamento machista quando observamos as atitudes do casal no seu dia-a-dia. "Divisão de tarefas na qual somente ela é responsável por cuidar da casa e ele é o único responsável por sustentar a família, são características machistas", diz a especialista.

O casal Manuela Robatini e Fernando Macedo Moreira passa bem longe desse tipo de situação em seu relacionamento. Os dois se conheceram numa festa rave, onde Fernando estava à trabalho e, desde então, se tornaram parceiros também profissionalmente.

Para eles, o diálogo dentro de uma relação é fundamental. Fernando vê na namorada uma parceira, uma pessoa que caminha lado a lado com ele e não alguém que está a sua sombra. “A Manu é, acima de tudo, minha parceira, minha amiga. Nossa cumplicidade transcende qualquer tipo de papel social imposto por quem quer que seja”, afirma.

Já Manuela diz que quando há consenso, muita coisa se resolve. “Quando os dois estão em harmonia e iluminados pela consciência, a tranquilidade interior domina o nosso ser! Ter companheirismo e reciprocidade é o melhor presente que se pode dar ou receber”, completa.





 

 



 
Faça seu 2017 melhor


E mais um ano chega ao fim e com ele todas as mensagens de esperança e motivação começam a surgir, a música de final de ano da Globo e até mesmo a música da Simone cantando, então é natal.... Todos esperamos que a virada de ano faça realmente "aquela" diferença, aquela mudança radical que vai nos colocar nos trilhos e mudar radicalmente nossa vida para melhor, a pergunta que surge então é COMO?

2017 será realmente diferente se eu continuar agindo e fazendo as coisas da mesma forma? Será que se eu continuar no emprego que eu vivo reclamando, vai ser mesmo diferente em 2017? Será que se eu continuar falando mal do meu cônjuge, ele (a) vai mudar? Se eu continuar culpando os outros como eu me sinto, ou como está minha vida, será mesmo que 2017 será melhor? 

Infelizmente essa não é uma mensagem motivacional, acredite. Se você continuar reclamando, criticando ou fazendo as coisas como sempre fez, sua VIDA NÃO VAI MUDAR em 2017.

Mas..... Se você assumir a real responsabilidade da sua vida, de como se sente e dos seus resultados e fizer diferente, sua vida em 2017, eu garanto, será diferente, muito diferente e muito melhor.

Existe um conceito chamado auto-responsabilidade, onde a pessoa assume 100% da responsabilidade dos resultados ou circunstancias em que sua vida se encontra. A pessoa auto-responsável sabe que se não esta satisfeita com a vida que tem levado, ela tem o poder de mudar a situação ou a si mesma, tendo assim muito mais autonomia e controle sobre a vida e resultados.

Meu convite a você nesse novo ano que se inicia é :

- Elogie mais as pessoas

- agradeça seu emprego, porque ele provê seu sustento, sua casa, sua comida....

- Ame mais a si mesmo, permita-se ser quem é e procure ser melhor a cada dia

- Ame mais o próximo sem esperar e nem cobrar retorno

- brinque mais com as crianças, as brincadeiras sugeridas por elas

- Estude mais

- Leia Mais, livros que te ajudem a construir uma carreira profissional melhor ou que te ajudem espiritual e mentalmente

Se permita ser diferente e fazer diferença na vida das pessoas ao seu redor

Construa diariamente o seu 2017 melhor.

 

BOX

6 leis da autoresponsabilidade:

Se for para criticar, se cale

Ao invés de reclamar, de sugestões

Pare de buscar culpados e foque na solução

Ao invés de se fazer de vitima, faça-se de vencedor

Antes de justificar seus erros e fracos, aprenda com eles

Não julgue as pessoas, julgue apenas suas atitudes

 

 

Ailin Schiavetto (Master Coach, palestrante, analista comportamental de perfis pelo Soar)

11 98174-4929, Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , facebook.com/ailinmastercoach



 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 10

Indique !