Edição do Mês

Guia Gastronomia

Guia Tudo + Educação

  • loclave.jpg
  • banneranuncie.jpg
  • milk3.png
  • overstoque-horizontal.jpg
IVETE SANGALO Sinta essa energia



Ivete Sangalo dança pelos extremos da vida. Até pouco tempo andava de buzão por Salvador em um dia e, no outro, cantava pelos palcos de Nova York. E não está nem aí pra isso. Óbvio que o dinheiro ajuda e, na pressa, troca a vida simples pelo seu jatinho particular, para cumprir a agenda com cerca de 10 shows ao mês; Ivete passou a dizer mais “nãos” ao trabalho com a chegada do filho Marcelo, há oito anos. Além disso, compartilha o seu tempo com os ofícios de
compositora, instrumentista, apresentadora, atriz, produtora musical, empresária, mãe do Marcelo e esposa do nutricionista Daniel Cady.
Sua vida é arretada.
E se o corre-corre já é intenso, imaginem daqui a alguns meses, com a chegada das gêmeas que a cantora espera ansiosa; aliás, ela já anunciou sua ausência no Carnaval 2018 (ahhhhhh), mas diz estar muito bem, obrigada. A decisão foi por pura prevenção mesmo, já que se sente ótima. “Como são duas, o peso é maior sobre o colo do útero, então, para não ter prematuridade, é melhor evitar”, alertou ela que está sentindo a barriga enorme e já não dorme mais com tanta tranquilidade, pois vai 18 vezes ao banheiro só durante a noite.

Apesar de não levantar a poeira no carnaval, com certeza Ivete estará conectada aos seus 7 milhões de seguidores do twitter, o segundo maior perfil do Brasil.
Dias atrás, o Brasil inteiro se emocionou com a sua história sendo contada no Programa Caldeirão do Huck, apresentado por Luciano Huck, seu ex-namorado.
Geminiana, Ivete é integrante de uma família de músicos da cidade de Juazeiro, interior da Bahia; é filha da pernambucana Maria Ivete e do espanhol Alsus Sangalo, e
a caçula de entre cinco irmãos: Mônica, Cinthia, Marcos (já falecido), Jesus e Ricardo. Já em Salvador, na adolescência, precisamente aos 16 anos, Ivete perdeu o pai de um infarto fulminante e, em seguida, o irmão Marcos num atropelamento. Alsus era ourives e quem sustentava a casa. Moravam em um apartamento maravilhoso, mas a dificuldade financeira bateu na porta e os irmãos juntavam moedas para comprar uma melancia. A mãe desmoronou em depressão. Para o sustento da família, Ivete chegou a trabalhar como modelo e vendedora de roupas e marmitas em um shopping da capital baiana, emprego que servia como intercâmbio para divulgar as “quentinhas” produzidas por sua mãe após a morte do patriarca da família Sangalo. Por muito tempo, as marmitas da Dona Maria Ivete serviram como fonte de renda de todos, até que a artista começou a se destacar pelos bares de Salvador e chegou ao estrelato por meio da Banda Eva, que fazia, em média, 30 shows por mês.
Seja Maria Ivete Dias de Sangalo Cady, Veveta ou Ivete Sangalo, aos 45 anos, esse mulherão aí é da fama, é da família e de todos os brasileiros. E nós, da Revista TUdo, embarcamos em sua vida para saber tudinho sobre ela e as gêmeas.
Confira e... Viva, Ivete.


Curiosidade
Ivete já vendeu 7 milhões de discos solo (e outros 3 milhões com a Banda Eva) e é recordista absoluta em DVDs, com o Multishow ao vivo – Ivete no Maracanã. A gravação levou 50 mil pessoas ao estádio e teve 1.350.000 cópias comercializadas, batendo todos os recordes mundiais da Universal Music, deixando para trás artistas poderosos como U2, Amy Winehouse e outras estrelas da companhia.

Revista Tudo: Recentemente, em seu Instagram, você publicou uma imagem do seu filho Marcelo beijando a sua barriga. Pelo jeito ele também está ansioso pela chegada das meninas.

Ivete Sangalo: Ele que me pediu; eu estava tranquila de já tê-lo, porque tem uma série de acontecimentos no país e no mundo que faz com que você reflita sobre o assunto. Eu pensava: “Meu Deus, será que vou conseguir trazer novos indivíduos e renovar esse mundo”? Mas o Marcelo começou com essa ideia de querer um irmãozinho. Um dia desses ele falou sério comigo, “Você precisa fazer”! E eu disse que não era bem assim, chegar numa delicatessen e comprar, né?! Nessa época, estava estudando reprodução humana e o avô dele comentou sobre a cegonha. Eu disse: ‘Não venha dar mérito à cegonha. O mérito é todo meu; ela não fez nada’. Daí ele entendeu que se o pai e mãe se dedicassem, aconteceria. Expliquei para ele sobre a minha idade, que era mais difícil, mas estamos muito felizes, porque eu não esperava gêmeos, e ainda mais de duas meninas. É igual ao sorvete que vem com um recado no palito: “você acaba de ganhar outro picolé”. Olhem como é bom chupar picolé, está vendo?! Eu aconselho! Chupem que dá certo (risos)!

Em relação a primeira gravidez, o que você tem sentido de diferente, e quais são os principais cuidados que você está tendo?
É muito diferente, mas tem um detalhe que não muda na minha condição de grávida: eu não me sinto cansada. A única instrução médica que eu sigo é não pular porque, como são duas, o peso é maior sobre o colo do útero, então, para não ter prematuridade, é melhor evitar. Não me sinto impossibilitada de fazer absolutamente nada. Sinto que a barriga está crescendo mais. Com o Marcelo, no quinto mês minha barriga já existia, mas não era desse tamanho. Ela cresce muito rápido, e elas mexem freneticamente, chegam até a me acordar. A dormida já começou a ter 18 idas ao banheiro; de dia eu também vou, mas elas gostam de ir à noite. Vou ao banheiro e, dali cinco minutos, outra vez. Meu Deus, que horas vai parar esse xixi? Me hidrato muito, me alimento com comida de baixa gordura, com pouco açúcar e pouco sal. Outra coisa que eu tenho feito bastante é hidratar o meu corpo, especialmente as partes onde vou ter o afastamento muscular ósseo, em virtude da gravidez, como barriga e peito. Eu fico besuntada, literalmente. É uma delícia, porque dá uma sensação boa.

Além desse cuidado em relação a hidratação, como você tem feito com as atividades físicas?
Eu sou uma pessoa muito cuidadosa; procuro fazer todos os exames preventivos regularmente e estou sempre me policiando quando se trata de saúde. A minha vida já é estabelecida, tanto em atividades físicas, quanto no que eu como, na maneira que durmo, como lido com as coisas o tempo todo. A gravidez, vem acompanhada de muitos cuidados, e eu não faço absolutamente nada sem a orientação médica. Quando eu falo em cuidados, por exemplo, é a questão de abrir mãos de algumas coisas; o Prêmio Multishow, por exemplo, eu não fui. No casamento de uma amiga também não. Eu pensei no seguinte: viajar, pegar avião, altitude; apesar de eu querer muito ir me controlei; apesar de eu já ter ficado grávida, essa é a primeira vez que fico de gêmeas. É todo um cuidado. Estou respeitando esses compromissos tradicionais com responsabilidade, feliz da vida, mas evitando excessos como festas. Mas está tudo ótimo, graças a Deus! Fiquei com muita vontade de estar lá (Prêmio Multishow) me mostrando.

Segundo um estudo da agência digital LabPop Content, você é considerada uma das artistas mais influentes nas redes sociais, no Brasil. Como você lida com esse poder?
Aí é que está o perigo! Olha, não quero ser pretenciosa, mas quero dar uma resposta honesta. Isso só me leva a crer que, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o público não é ingênuo e nem convencido por imagens. Eu tenho 24 anos de carreira, próxima de completar 25. E isso só me dá tranquilidade. Eu jamais subestimaria a capacidade do meu público. Na minha conduta, sempre fui muito honesta! Independente se eu estou certa ou errada nas minhas atitudes, a honestidade sobre elas é sempre válida. É bom quando você não é um personagem.

Hoje você está com um visual leve, toda de branco, vestido longo. Muda sempre de estilo?
Estou na vibe do figurinista mesmo. Ele veio com essa onda de praia, um lance moderno. Eu gostei e achei confortável. Estou procurando não apertar as meninas, porque elas crescem de dez em dez minutos. Nunca vi um negócio desse. Eu acordo e digo “Valei-me”.

Você já encarou o Maracanã lotado, os palcos de Nova York e outros lugares que são o sonho de vários artistas. O que mais você deseja para o futuro?
Existem marcas, números, estatísticas e gráficos que, quando são tornados públicos, tornam uma pessoa grande. Eu gosto de cantar. Se não for nos shows, eu vou estar cantando na minha casa, com o meu grupo de amigos, mas parar, nunca. A relação direta do show com o público, compor, ouvir as pessoas falando que minhas canções são como marcadores de suas vidas é muito satisfatório. Gravando ou não um milhão de músicas eu sempre estarei cantando e cantar é o meu maior desejo para o futuro.

Alguns artistas expressam suas opiniões sobre o amor livre; você concordou e isso repercutiu.
Sempre tive preocupação de não interferir nas decisões das pessoas, principalmente sobre o que eu acredito, porque em algum momento da minha vida eu posso mudar o meu conceito sobre determinado assunto. Um exemplo é a política; o que eu pensava sobre esse assunto há quinze anos não é o mesmo que penso hoje. Como eu tenho seguidores, na sua maioria adolescente, tenho que ter responsabilidade para creditar a eles as minhas falas. Tenho convicção de que a homofobia é humanamente inadmissível e não há nada que possa mudar a minha opinião sobre isso. Não respeitar o outro, porque ele é homossexual? O que esse fato mudará na minha ou na sua vida? Nós não estamos falando de um homossexual, ou de uma mulher, de um negro, estamos falando de um ser humano. O mundo está assim porque as pessoas não se libertam para o amor; elas se prendem ao ódio e ao julgamento, não existe união.

Sua relação com o público é contagiante, né?
Aos meus fãs que me conhecem, sempre digo: “Isso eu gosto, isso não”. Isso me invade, e em nenhum momento, os limites desse relacionamento são ultrapassados. Quando nos tornamos artistas, nos propomos a dividir algo com as pessoas que se emocionam e criam vínculos. Não posso ir ao shopping, mas posso fazer um milhão de outras coisas. Existem vários caminhos para falar e tratar a fama. Aliás, fama é uma coisa e sucesso é outra. Você pode ser famoso por ser um ladrão, pode ser capa de todos os jornais por ser corrupto, mas pode ter sucesso na carreira sem necessariamente aparecer nos jornais e ser reconhecido na rua, seja como empresário, como educador, como manicure. Vamos viver a dor e a delícia de ser o que é.


“fama é uma coisa e sucesso é outra. Você pode ser famoso por ser um ladrão, pode ser capa de todos os jornais por ser corrupto, mas pode ter sucesso na carreira sem necessariamente aparecer nos jornais e ser reconhecido na rua, seja como empresário, como educador, como manicure.

 
  • banneranuncie.jpg
  • loclave.jpg
  • overstoque-horizontal.jpg
  • milk3.png

Online Agora

Agora visitando nosso site temos: 2574
--
Banner
--
--
Banner
--
--
Banner
--
--
Banner
--
--
Banner
--

Indique !