Ana Luiza Castro: a mulher que voa

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fotos: arquivo pessoal/Ana Luiza

Ana Luiza Castro (36) não corre, ela voa – e leva outras mulheres consigo. Apesar de ótimo corredora, sua história nada tem a ver com velocidade, mas sim com qualidade (de treino e de vida). Formada em Educação Física, ela uniu sua paixão pelos esportes à vontade de ajudar outras mulheres a alcançarem seus sonhos.

Assim, nasceu o Women with Wings. Criado em 2013, o projeto traz planilhas de treinos e corridas para mulheres de todas as idades, de iniciantes à avançadas no esporte. Os treinos acontecem no campus da USP (Universidade de São Paulo) e também nas ruas e parques da Granja Viana, local que é casa da Ana desde os 18 anos de idade.

Confira a seguir a entrevista completa que Ana Luiza deu à TUDO com exclusividade e saiba mais sobre a história de vida e o projeto dessa granjeira inspiradora!

Primeira, conta TUDO sobre você! Quem é a Ana Luiza?

“Falar da gente é sempre mais difícil, né? Por isso que eu gosto de escrever crônicas sobre os outros… Mas a Ana Luiza é uma mulher muito determinada, eu corro atrás das coisas que fazem sentido para mim, dos meus sonhos e vontades. E muito inquieta também! Tanto a parte física, quanto a mental é bem ativa, então é difícil cumprir “só” o que eu já faço, gosto sempre de um projeto novo, desafios…”, começa a corredora.

“Eu sou movida a desafios”, declara Ana.

A corrida sempre foi o seu esporte favorito? Como surgiu esse interesse?

“Eu sempre gostei muito de esporte! [A corrida] não foi o meu esporte, eu era jogadora de vôlei quando mais nova, e sempre gostei muito de esporte. Era sempre a primeira a ser escolhida da sala!”, conta Ana. “Quando comecei a faculdade, saí um pouco do vôlei e queria uma atividade física que pudesse fazer sozinha, porque estava com os horários mais apertados… Aí descobri a corrida!”

“Virou uma grande paixão da minha vida! Eu fiquei 10 anos correndo sozinha, e aí foi quando me aventurei na minha primeira maratona. Pensei comigo: se eu fizer 42km, a distância da maratona, eu vou conseguir treinar pessoas para correr 42km… Então, eu achava, e ainda acho, que eu só estaria apta a fazer esse tipo de treinamento e montar uma equipe se eu passasse pela experiência da maratona.”

“Eu fiz a minha primeira maratona em outubro e no mês seguinte já estava começando uma equipe”, conta Ana sobre o começo do seu projeto.

O que é o projeto ‘Women with Wings’? O que te inspirou a criá-lo?

“É um projeto de inclusão para mulheres fazerem por si! A mulher tem essa tendência de cuidar de todo mundo: marido, filhos, pais, do trabalho, da casa… e muitas vezes acaba esquecendo de cuidar de si própria. Eu decidi fazer esse projeto que é um olhar, um cuidado com você!”

“É isso que acontece no projeto: um momento em que a mulher está se olhando, se cuidando, para depois cuidar de todo o resto que ela precisa”, explica ela.

O projeto possui diferentes planos, cada um com seu devido valor, que permite desenvolver planilhas e treinos individuais, específicos os objetivos e vontades de cada atleta, envolvendo não só a corrida como também treinos funcionais, que movimentam todo o corpo. Os treinos podem ser feitos sozinhos ou em equipe, na esteira ou na rua.

Papo de granjeira

Você já mora na Granja há alguns anos. Acha que a região mudou muito? Para melhor ou pior?

“Eu vim para Cotia aos 7 anos de idade, mas para a Granja Viana vim com 18 anos. Eu estou com 36 anos, então daqui a pouco fazem 20 anos que eu moro aqui!”, explica ela.

“Infelizmente, eu acho que a Granja mudou muito, sim, e para pior. Antigamente eu não tinha medo de andar na rua sozinha e, hoje, eu tenho. Mesmo com a equipe, quando a gente corre na Granja, ficamos sempre pelo parque [Cemucam]. Algumas pedem para não correr na rua, mesmo em grupo”, conta a professora, chateada.

“Durante a semana, que a região do Cemucam é um pouco menos movimentada, a gente tem medo de correr na rua sozinha”, declara Ana.

Ainda assim, Ana diz amar morar na Granja Viana, e parece não querer se mudar tão cedo. Ela conta que gosta de sair para comer em restaurantes diferentes e explorar a região acompanhada de amigos, família e até mesmo alunos.

Você acha que a Granja é um bom lugar para corredores e outros desportistas?

“Sim, eu acho a Granja um bom lugar para corredores, mas em equipe – e não é querendo fazer propaganda da minha equipe, mas uma pessoa correr sozinha, hoje, eu me preocupo. Então, o bom de ter uma equipe é que, além de ter orientação de um educador físico, você também vai estar mais seguro, correndo com pessoa fisicamente ativas”, frisa ela.

Inclusive, Ana “chuta” que 90% do time de alunos do WWW é composto somente por mulheres granjeiras!

Os melhores lugares para se aventurar a correr na Granja!

Ana elege seu TOP 2 melhores espaços para correr na Granja Viana: o Parque Teresa Maia, para aqueles que ainda são iniciantes na prática, e o Cemucam para quem já está um pouco mais avançado.

Além do horizonte…

Já fora da Granja, Ana gosta de correr no Via Parque, em Alphaville, e no campus do Butantã da Universidade de São Paulo (USP), localizado no final da Rodovia Raposo Tavares.

São 8 anos de Women with Wings! Como você se sente vendo TUDO o que já viveu com esse projeto?

“É uma mistura de sensações esses 8 anos!”

“Esses 8 anos que a equipe fez é um marco para mim! Eu não pensei que iria tão longe. Não pensei que sobreviveria à pandemia bem, já que muitas empresas fecharam, mas a gente só se fortaleceu. Abrimos um espaço físico de treinamento funcional, abrimos o grupo na USP… e eu fico feliz das pessoas entenderem que atividade física é muito importante”, afirma Ana.

“São 8 anos de muita luta! Nunca pensei em desistir, pelo contrário, sempre quis inovar. É uma mistura de muita gratidão. Mais de 600 mulheres da região já passaram pela equipe… é muito bacana ver que, mesmo numa cidade relativamente pequena, muita gente conhece o projeto. Eu sou muito agradecida!”, declara a fundadora.

Futuro à vista! Já tem muitos projetos para 2022?

SPOILER ALERT! “Esse é spoiler total… eu estou vendo o quanto as atletas estão se interessando por outros esportes, como bicicleta e natação, então estou com vontade de me aventurar no triathlon e fazer a mesma coisa que eu fiz quando decidi virar maratonista e ter uma equipe!”, revela a corredora.

“Estou com vontade de treinar um triathlon para ter uma equipe além da corrida, que possa atender também mulheres tri-atletas!”

Um conselho para as que sonham em correr…

“Em um esporte que a gente dá muitos passos correndo, o primeiro é o mais importante: a tomada de decisão”, afirma Ana.

“Primeiro, é entender que todo mundo pode correr. Não importa se a pessoa é rápida, devagar, gordinha, magra, sedentária ou atleta, o importante é ter um desafio, cuidar da saúde e, principalmente, adquirir um hábito saudável. Com o que a gente passou nos últimos anos, eu posso confirmar que quando a gente tem saúde, a gente tem tudo”, encerra ela.

Além de TUDO isso, Ana Luiza também é escritora e mantém uma coluna mensal nas páginas e site da Revista TUDO – para ler, acesse a categoria “Cuide-se” do site!

Obrigada pela inspiração em forma de entrevista, Ana! Voe longe – a TUDO sempre acompanhará você!

Mais notícias

Você viu tudo

Não há posts