Para o inverno: descubra quais os procedimentos estéticos ideais para essa época do ano

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Se você é familiarizada com procedimentos estéticos, provavelmente já sabe que alguns cuidados devem ser tomados após a sessão. Um dos pontos de atenção é a alta exposição aos raios UV, que deve ser evitada ao realizar alguns tipos de tratamentos. Por isso, durante o inverno – quando há pouca incidência de raios UVA/UVB – há uma procura maior principalmente pelos tratamentos mais invasivos. 

“Alguns procedimentos têm melhor resultado nesta época justamente pelo clima mais frio e pela menor incidência de raios. O uso de técnicas como laser e coolsculpting, por exemplo, pode causar hiperpigmentação se houver uma alta exposição aos raios. O inverno também é o melhor momento para iniciar um tratamento com ácido retinóico (tretinoína) para manchas ou rugas”, explica a dermatologista Sarah Bechstein.

Por esse motivo, na época mais fria, as pessoas se sentem mais confortáveis para realizar tratamentos que podem envolver ativos fotossensíveis. É durante o inverno que alguns dos principais procedimentos estéticos são mais indicados, como peelings químicos, tratamentos com tretinoína, ultrassom microfocado, uso de luz pulsada, e procedimentos com auxílio de lasers (como depilação, remoção de tatuagens e olheiras).

A Dra. Sarah comenta a seguir os principais tratamentos para esta época do ano.

Peeling

Segundo a dermatologista, os peelings, tanto o químico quanto o de cristal, são os mais recomendados no inverno. Eles têm o objetivo de afinar a pele, tratando manchas, flacidez, cicatrizes, acne e estrias. Ambos causam uma pequena lesão na pele, e, após o procedimento, o sol deve ser completamente evitado, mesmo com uso de filtro solar, que é indispensável.

Remoção de tatuagens

“Feita com o uso de laser, este procedimento é super indicado no inverno por ter um melhor resultado e uma melhor recuperação da pele sem a incidência solar, principalmente em áreas do corpo mais expostas”, explica Sarah.

Depilação a laser

Assim como a remoção de tatuagens, todos os procedimentos feitos a laser são mais indicados no inverno. A depilação é um procedimento procurado em todas as estações e que não pode ser feito em peles bronzeadas.

De acordo com a especialista, esse pequeno detalhe é fundamental para o sucesso do tratamento. O período entre a sessão de depilação e a exposição solar deve ser de 15 dias de intervalo, podendo haver queimaduras, caso isso não seja respeitado.

Luz pulsada

Semelhante ao laser, a luz pulsada pode ser usada tanto para depilação quanto para tratamentos de manchas, olheiras e linhas de expressão.

“Não é contraindicado em outras estações, mas a recuperação da pele e os resultados são melhores no inverno, principalmente quando feita no rosto”, explica a dermatologista.

Laser CO2

Indicado para tratar manchas, olheiras, estrias, flacidez, acne e cicatrizes, o laser CO2 fracionado funciona aquecendo a pele para promover a renovação celular. Assim como os outros tipos de lasers, o paciente não deve se expor à luz solar para evitar manchas.

Microagulhamento

Este procedimento é indicado para uniformizar a pele, tratar cicatrizes, rugas e linhas de expressão. É um tratamento feito através de microagulhas que penetram na derme, provocando a formação de novas fibras de colágeno, causando um dano controlado. A indicação é de no mínimo 5 dias longe do sol e muito filtro solar.

Ácido retinóico

A tretinoína tópica é o único ingrediente que possui aprovação da FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos) para o tratamento de rugas, e é um dos ácidos mais eficazes usados na dermatologia há décadas. Trata-se de um derivado da vitamina A que remove células mortas, estimula o colágeno, suaviza linhas finas e diminui manchas. Também é bastante usado no combate à acne.

Esse composto é utilizado à noite para evitar que a pele tenha contato com o sol após a aplicação do produto. Além do risco de causar manchas, a exposição ao sol sem proteção durante o uso de tretinoína não é indicado, pois a pele fica mais sensível aos raios solares devido à descamação causada pela substância. No início do tratamento a sensibilidade aos raios UV é maior, portanto o inverno é a melhor época para iniciar o tratamento.

Acompanhamento médico

Para finalizar, Sarah Bechstein reforça a importância do acompanhamento contínuo com um profissional que possa avaliar as características de cada pele e indicar ou não cada um dos procedimentos citados.

“Cada pele é única e exige cuidados específicos. Antes de realizar qualquer tipo de procedimento, é fundamental que a paciente consulte uma dermatologista de confiança que possa orientá-la da melhor forma”, conclui.

Fonte: Formel Skin

Mais notícias

Você viu tudo

Não há posts