Mucugê: natureza e poesia

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por Marcelo Sampaio
Fotos: arquivo pessoal/Marcelo Sampaio

Que cidade é essa? A autêntica história brasileira, do garimpo, da Bahia, está em Mucugê, preservada para que possamos viver uma autêntica poesia.

Caminhar pela cidade é um presente, um verdadeiro museu a céu aberto como se estivéssemos num cenário de novela. Apaixonante.

Hotelaria impecável nas duas experiências que tive. O Hotel Boutique “Refúgio na Serra” entrega autenticidade com elegância além de um conforto extremo. A Gastronomia arrasa desde o delicioso café da manhã até o jantar com pratos únicos assinados pelo competente Chef André Chequer.

A Hospedaria “Vila Santo Antônio”, num estilo de vida bem local em autêntica casa de família toda restaurada, faz com que possamos viver como vivem os mucugenses com todos os mimos que amamos. Os sabores do Café da Manhã são feitos com tanto carinho que a gente se sente compartilhando delícias como se vivêssemos ali. Um sonho real!

O entorno de Mucugê oferece-nos trilhas deslumbrantes; rios, lagos, cachoeiras de tirar o fôlego de tão lindas e histórias fantásticas da época dos garimpos de diamantes. Um autêntico museu ao lado da Estrada Real restaurada – e no coração de onde ocorriam as extrações – costura todos os fatos que ali se passaram, entregando-nos conteúdo riquíssimo.

E o Sítio do Galera, minha gente? Esse é o mais admirável e delicioso cultivo de frutas vermelhas do entorno, com maravilhas preparadas no próprio local. Por falar nelas, o “Empório do Sítio” na rua central da cidade com suas cachaças, licores, geléias, queijos e embutidos deixou-nos apaixonados pelos sabores.

Sabor bom também do Chocolate de Mucugê, preparado com todo amor e técnica com as melhores amêndoas baianas. Pai do Céu, que delírio!

A Vinícola UVVA é o assunto mais falado na região hoje em dia, afinal, o empreendimento ultrapassa todas as expectativas possíveis. Impressionante é o termo correto para o que encontramos na estonteante e mega estudada UVVA.

Quem imaginou em Mucugê, Chapada Diamantina, encontrar um projeto tão arrojado com vinhedos maravilhosos, emoldurados por uma beleza natural sem fim produzindo os melhores vinhos brasileiros?

Pois então, a família Borré estudou durante 40 anos essa história linda para que o resultado fosse simplesmente único.

Respeitando a natureza, ou melhor, contribuindo com toda a região, a UVVA chega com notas máximas em todos os quesitos, desde instalação, design, sofisticação, plantio, colheita, técnica, produção, bom gosto, simpatia e claro, vinho!

Que orgulho bater no peito e gritar: Minha terra tem produtos que alimentam e massageiam meu Ego, ou melhor, nossos Egos.

Mucugê é isso e muitíssimo mais: é gente querida, comida de primeira com restaurantes especiais (Point da Chapada, Paraguassu, Alpina, Casa Amarela, Odeon e Beco da Batéia) onde degustei pratos sensacionais em lugares mais sensacionais ainda. Um lugar mexeu com minhas emoções e lembranças de família: a cozinha caseira de Dona Nena. Essa cozinheira é uma senhora repleta de vivências e histórias, que nos recebe em sua cozinha com o seu melhor sabor. Delicioso e emocionante!

Mucugê é pura Chapada Diamantina, uma região única onde se encontram as maiores altitudes do Nordeste Brasileiro, com um clima ameno e conhecida mundialmente por sua vegetação exuberante de espécies nativas, além de seus atrativos ligados à Mãe Natureza. Ah … tudo isso me foi apresentado pelos amados guias Ailton e Vini, gente mais do bem e culta impossível.

Às 18 horas, a Igreja Matriz toca os sinos e entoa uma Ave Maria para que todos escutem. Eu simplesmente abaixei a cabeça e agradeci com os olhos em lágrimas.

O que mais desejo depois dessa jornada? Muito, mas muito mais vezes de Mucugê. Alma lavada e renovada. Vamos garimpar?

Mais notícias

Você viu tudo

Não há posts