Bebida refrescante e de baixíssima caloria é uma boa opção para o verão

Um Gin Tônica, por favor.
Fazer um pedido desses é no mínimo chique, né?

O gin é uma bebida destilada cheia de infusões de especiarias botânicas, feita para ser apreciada em coquetéis e que oferece um momento de múltiplos sabores, aromas e prazeres. Foi inventado há séculos, mas voltou a ficar popular na última década. E você já deve ter notado que ele invadiu – e ganhou espaço – nas cartas dos bares e nos lares brasileiros. Algumas casas paulistanas – mais de 10 – investem na bebida como carro-chefe e usam e abusam da criatividade para colocá-lo, literalmente, em jogo.
Até a Granja Viana ganhou uma Casa assim e o endereço está aqui no final da matéria, depois da receita.
Algo bem legal é que boas marcas já são produzidas no Brasil. Algumas, inclusive, utilizando como matéria prima raízes brasileiras, clássicos da nossa flora e produtos como cacau, mexerica e castanha do Pará.

Boom do Gin
A moda do gin tem trazido bons retornos para a Diageo, a maior fabricante de destilados do mundo, aponta o balanço da empresa de julho de 2018 a junho de 2019. A alta de 11% nas vendas no Brasil se deve devido à popularização do gin. Por aqui, o crescimento superou o da média mundial, que aumentou 6,1%. O faturamento global foi de 12,9 bilhões de libras em vendas e 4 bilhões de libras em lucro operacional.

A base do gin é um álcool destilado neutro feito de cereais, mas o mais importante nessa bebida é ter como sabor mais intenso o zimbro (juniperus). O zimbro é um tipo de conífera que possui mais de 50 espécies, entre arbustos e árvores. Além disso, o gin pode conter diversos outros elementos botânicos. Essas infusões de sabores é que são seus verdadeiros diferenciais!

Você sabia disso?
Uma curiosidade interessante é que existem centenas de variedades de gins, de acordo com o local de produção e os ingredientes adicionados. E além deles, os métodos de fabricação podem ou não inserir uma etapa para adoçar a bebida, daí as variações dos famosos tipos de gins, como London Dry (seco) ou Old Tom (doce), por exemplo.

Ele já foi remédio
A primeira receita da bebida, criada no século 17 na Holanda, foi desenvolvida para ser uma fórmula alternativa aos medicamentos diuréticos. Seu ingrediente principal, o zimbro, é uma fruta conhecida por seus benefícios ao sistema renal, mas que na forma de medicamento, não resultou em grandes vantagens. No entanto, o sabor aromático do gin conquistou paladares, permitindo sua popularização como uma bebida alcoólica. Mas sucesso mesmo ele só conseguiu na Inglaterra, que melhorou sua receita e popularizou a bebida.

GIN com N ou GIM com M?  
Muitas pessoas ficam em dúvida na hora de escrever o nome da bebida, que embora o nome original seja escrito com N, o dicionário Aurélio de Portugal traz a palavra com a letra M no final. Assim como vodka ou vodca, o que diferencia é se estamos escrevendo o nome original ou “abrasileirado”. Porém, independente da última letra, a palavra em português é um substantivo masculino: ou seja, nada de “a” gin/gim.

A queridinha da RAINHA ELIZABETH

A monarca já admitiu que não é uma grande fã de vinho, preferindo uma taça de champanhe — mas que a bebida alcóolica que tem seu coração é o bom e velho gin. Vai ver é esse o segredo da longevidade, né?!

Por volta de 1730, a Inglaterra contava com mais de 7 mil pontos de venda de gin. Por ser um destilado com teor alcóolico que variava entre 80% e 90% de baixíssimo custo, o país enfrentou uma epidemia de alcoolismo — afetando principalmente a classe de pessoas mais pobres. Esse capítulo sombrio da história do gin conferiu, por muito tempo, um injusto preconceito contra a bebida. Apesar de já ter tido essa má fama, o gin apresenta graduação alcoólica semelhante a de outros destilados populares como vodka, tequila e pisco.

 

Receita

Dica para começar o ano: sente no deck da Tea House, num final de tarde, e peça o
Gin de Ano Novo

50ml de gin da casa de lavanda

2/3 de dose do xarope de grenadina

Tônica (aí você escolhe o quanto quer deixar o drink mais leve ou mais forte)

Meia dose de xarope de maçã verde por cima

Raspas de limão e alecrim a gosto

 

Tea House – Chateria N’ Gin
José Félix de Oliveira, 928
@teahousechateriangin

*Se beber, não dirija

Abrir Chat
Precisa de Ajuda?
Como podemos ajudar?