Cidade de São Paulo começa a vacinar população geral contra gripe

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Prefeitura de São Paulo anunciou, na última segunda-feira (12), que a vacinação contra a gripe, o vírus influenza, está aberta para a população geral da cidade e é realizada nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e AMAs (Assistência Médica Ambulatorial) entre as 7h e 19h, de segunda à sexta.

Estão liberados para receber a vacina toda a população com mais de seis meses de idade, por ordem de chegada na fila. A meta de imunização da população-alvo não foi atingida na primeira fase da campanha, por isso, não há nenhum grupo prioritário até o fim dos estoques das doses.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe teve início em 12 de abril e foi encerrada em 09 de julho, na última sexta-feira. Vacinou 2.460.553 cidadãos contra o vírus influenza, o que representa somente 51,4% dos prioritários para imunização. Segundo a Prefeitura, sob orientação do governo estadual, o objetivo é imunizar 4,5 milhões de pessoas contra a gripe.

Posso tomar a vacina da gripe junto com a vacina contra a COVID-19?

Não.

Ainda não existem estudos da aplicação conjunta das duas vacinas, por isso, a recomendação do Ministério da Saúde é de que exista um intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação dos dois imunizantes.

“Não há nada dizendo que existe perigo, mas, na ausência de estudos, o mais recomendado é que se respeite esse intervalo entre vacinas”, explica Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Segundo ela, o ideal é que a vacina do coronavírus seja priorizada, mas ambas são importantes. “As duas doenças são graves e podem levar à morte, portanto, é importante é importante que a vacina da gripe seja aplicada após o intervalo indicado”, esclarece ela.

Como não existem estudos da aplicação conjunta das duas vacinas, a recomendação do Ministério da Saúde é que exista um intervalo de 14 dias entre a aplicação dos dois imunizantes. “Não há nada dizendo que existe perigo, mas, na ausência de estudos, o mais recomendado é que se respeite esse intervalo entre vacinas”, explica Isabella Ballalai, vice-presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações). Segundo ela, a recomendação é que, se existe uma chance de tomar a vacina contra o novo coronavírus em breve, ela seja priorizada. “Mas as duas doenças são graves e podem levar à morte, portanto, é importante é importante que a vacina da gripe seja aplicada após o intervalo indicado”, alerta a especialista.

De acordo com a SMS, as pessoas infectadas com COVID-19 no momento ou que tiveram alta da doença em menos de 28 dias também ainda não estão aptas a se vacinar contra a gripe.

Mais notícias

Você viu tudo

Não há posts