Gastronomia
Chá com prazer Leia +



Se você pensa que ele serve somente para curar a gripe, combater a ressaca ou acalmar os ânimos, esqueça. Estamos aqui para garantir que o chá está longe de ser um remédio, e é uma bebida milenar repleta de benefícios para o corpo e para a alma.
Embebeda-se nesta matéria repleta de aromas e sabores. É hora do chá.

Em algumas regiões os chás são bebidos em xícaras (chávenas) sem pega (alças) pelas seguintes razões:

  • Se você consegue segurar com as mãos, é porque a temperatura do chá está apropriada para o consumo.

  • Se queimar as mãos e não conseguir segurar é porque pode fazer mal.

Se ligue só!
Os chineses e os japoneses bebem chá quente (de preferência, chá verde) durante as refeições; nunca ­­água gelada ou bebidas geladas. Líquidos gelados durante e após as refeições solidificam os componentes oleosos dos alimentos, retardando a digestão.


Chás ajudam no emagrecimento. Saiba por que.
Bebidas geladas reagem com os ácidos digestivos e serão absorvidos pelo intestino mais depressa do que os alimentos sólidos, demarcando o intestino e endurecendo as gorduras, que permanecerão por mais tempo no intestino. Daí o valor de um chá morno ou até água morna depois de uma refeição. Facilita a digestão e amolece as gorduras para serem expelidas mais rapidamente, o que também ajuda no emagrecimento.

O chá é uma bebida estimulante e, quando bebido puro, tem quase zero de caloria. Seus principais efeitos são:

  • Combater o envelhecimento das células;

  • Reduzir o risco de câncer (principalmente de esôfago e estômago), doenças do coração, gastrite e derrame cerebral;

  • Ajudar a fortalecer os ossos e a controlar a pressão arterial;

  • Tem efeito diurético e pode provocar insônia em pessoas sensíveis à cafeína.

Mas, cuidado: se consumido junto com as refeições, o chá pode diminuir a absorção de ferro.

A Lenda do Chá
Tudo começou quando um imperador chinês de nome Shen Nung ferveu folhas de uma planta desconhecida num pouco de água (2.737 a.C.). O resultado foi maravilhoso, e o uso da nova bebida se popularizou em toda a China. Existe uma lenda que afirma ser o monge budista Bodhidarma o descobridor do chá. Diz a lenda que o monge prometera orar a Buda durante um ano, sem parar, dia e noite. O sono, sem dúvida o venceu, e o monge adormeceu durante uma prece. Ao acordar sentiu-se indigno, revoltado, arrancou os cílios. Estes criaram raízes e transformaram-se num arbusto cujas folhas depois de secas e escaldadas produziram uma bebida que nunca mais o deixou dormir.

Chás de saquinho são ruins?
De acordo com a especialista em chás, Carla Saueressig, muitas vezes os sachês têm cloro e isso altera o sabor, além de ser perigoso para a saúde. E também tem uma questão econômica, que para o chá caber naquele saquinho pequeno – que é muito mais barato – ele é moído e misturado à aromas artificiais, portanto, deixa de ser um chá. É bem diferente de um chá granel, cujas ervas, flores ou especiarias são bonitas, cheirosas e gostosas.

Receitas:
Yuza-Cha - Chá de Limão e Gengibre (receita original da Coréia)
Ingredientes:
6 xícaras de água
1 gengibre
2 limões
Açúcar a gosto

Modo de Preparar:
Cortar os limões na vertical em fatias de 0,5 cm. Colocar em uma vasilha e salpicar o açúcar por cima. Tampar e deixar descansar por uma semana. Cortar o gengibre em fatias bem finas, colocar em uma panela, juntar 6 xícaras de água e levar para ferver. Na hora de servir, colocar em cada xícara uma fatia de limão, um pouco do suco do limão e cobrir com a água de gengibre. Servir bem quente.

Chá inglês
Ingredientes
3 colheres de chá preto em folhas ou saquinhos de chá
2 xícaras de água fria
Leite a gosto
Açúcar a gosto
Limão a gosto

Modo de preparo
Numa chaleira, coloque a água fria ou readapte a quantidade de água conforme a quantidade de xícaras de chá que queira fazer; aqueça a chaleira no fogo alto. Quando a água começar a ferver, despeje uma pequena quantidade em um bule para pré-aquecer, mexa e despeje o resto da água. Coloque as colheres de chá (uma para cada xícara que queira fazer e mais uma) e coe. Coloque a água nas xícaras e deixe repousar durante 5 minutos se você quiser um chá suave, ou 10 minutos se quiser um chá forte.
Retire o coador do bule e sirva com leite, açúcar e limão.

Chá de boldo (tipicamente brasileiro)
Ingredientes
Uma colher de sobremesa de folhas de boldo picadas
Uma xícara de água

 
“Afrodisíeque”

Alguns alimentos nos proporcionam muito mais prazer do que poderíamos imaginar.

Sorte a nossa!

A edição especial de Dia dos Namorados da Revista TUdo não poderia trazer outra opção gastronômica que não fosse alimentos que servem como combustível dentro de uma relação, os chamados afrodisíacos.

A palavra “afrodisíaco” do grego “aphrodisiakós” significa “relativo ou pertencente à afrodisia, que restaura as forças geradoras, ou excita os apetites carnais”. O nome é uma homenagem a deusa grega Afrodite, divindade relacionada ao amor que surgiu há cerca de 5 mil anos.

Na culinária afrodisíaca os alimentos utilizados são considerados estimulantes sexuais porque alteram o funcionamento do metabolismo, aumentando o desejo sexual, a produção de hormônios ligados à libido, a lubrificação e, ainda, aumentam a vasodilatação, que facilita a irrigação de algumas partes do corpo, incluindo as genitais – o que prolonga a ereção.

A equipe da Revista TUdo separou alguns deles e suas histórias. Existem várias formas de consumi-los, basta soltar a imaginação. Bom apetite, literalmente.

Aspargos

O próprio significado da palavra aspargo já diz muito sobre o seu potencial afrodisíaco. O nome origina-se de “asperge”, gíria francesa para o membro masculino. Ainda, no século XVII, inúmeros médicos, entre eles o botânico inglês Nicholas Culpeper, já sabiam que o vegetal possuía um efeito estimulante em homens e mulheres. No século XIX, inclusive, na noite de núpcias, os noivos comiam aspargos para dar um “up” no seu desempenho sexual. Dentre seus benefícios e fontes de saúde, podemos destacar o ácido fólico, responsável por manter o sistema reprodutor feminino saudável e no auxílio da produção de histamina, uma substância que estimula o orgasmo.

Mel

Na Grécia Antiga, o mel era conhecido como “o néctar de Afrodite”, de modo a ser relacionado com o sexo constantemente. O alimento contém vitaminas B e C que estimulam a produção de hormônios sexuais. Além disso, se usado de forma criativa, ainda tem outros tipos de utilidade.

Romã

A Romã é bastante conhecida por uma superstição que diz que a fruta traz fertilidade e fortuna. Quem nunca colocou algumas sementes na carteira numa entrada de um novo ano, que atire a primeira pedra. No entanto, ela também é conhecida por outro fato: ser afrodisíaca. Segundo estudo realizado pela Universidade Quem Margarte, na Escócia, que recrutou 58 voluntários com idades entre 21 e 54 anos, homens e mulheres, para beberem um copo de suco de romã por dia durante duas semanas, o nível de testosterona dos participantes aumentou em até 30%. Pois é! Investir em romã, neste caso, nunca é demais.


Lagosta
Os moluscos e crustáceos do mar são considerados, dentre os afrodisíacos, os mais poderosos.
A lagosta tem sido descrita como um estimulante erótico por muitos escritores, inclusive Henry Fielding, em Tom Jones. Além de afrodisíaca, é decorativa, saborosa e fácil de preparar. Já o chocolate traz à tona a sensação de bem estar, fazendo com que o apetite sexual, seja estimulado tanto em homens como em mulheres.
Para que se possa sentir seus efeitos, os alimentos com propriedades afrodisíacas devem ser consumidos em maior quantidade por quem quer estimular o apetite sexual, não existindo uma quantidade ideal.

Fatos curiosos

- Os gregos acreditavam que Afrodite havia nascido da espuma do mar, por isso a crença de que os alimentos que vêm do mar são afrodisíacos;

- O arroz é símbolo da fertilidade. Por isso, existe a tradição de atirá-lo em recém-casados;

- Existe uma filosofia que diz que a forma e a cor dos alimentos estão diretamente associadas à forma da parte do corpo em que exerce poder – Chama-se “A Doutrina das Semelhanças”. É por causa desse conceito que alimentos com formatos fálicos, como o aspargo, por exemplo, tornaram-se afrodisíaco.



Afrodisíaco e irresistível
Uma das formas de surpreender seu par é pela gastronomia.
No dia dos Namorados, saia do restaurante Tantra bem diferente de como você entrou.
Para isso, lambuze-se!



Sopa de lagosta com chocolate branco

500 ml de caldo de peixe (dashi)

25 gramas de chocolate branco

1 gema de ovo

150 gramas de st peter picado

600 gramas de lagosta picada

1 punhado de cebolinha

Sal e pimenta

Modo de preparo:

- Ferver o Dashi.

- Remover do fogo e acrescentar o chocolate branco aos poucos, sempre misturando

- Acrescentar o restante dos ingredientes em fogo baixo não deixando a mistura ferver

- Sal e pimenta a gosto

Salada de pera com pesto de jambu

Molho:

4 dentes de alho

1 pitada de sal

1 /4 xicara de jambu flores

1/2 xicara de manjericão

3 colheres de amêndoas

100 gramas de parmesão

1/4 xicara de azeite

1/4 de xarope de jambu

Pimenta do reino

 

Salada:

1/2 Pera

Folhas verdes

Hortelã

Flores de jambu

Misturar todos os ingredientes do molho no liquidificador.

Cortar a pera em tiras horizontais e deixar em um recipiente com suco de limão para não escurecer.

Misturar as folhas verdes, a hortelã e o molho com as tiras da pera.

Decorar com flores de jambu.

 

 

Sobre o Jambu
Mulherada, pasme! O jambu é utilizado para aumentar a excitação feminina, expandindo os movimentos peristálticos no interior da vulva; inclusive, alguns produtos à base dessa plantinha prometem ser um sucesso de venda nos próximos anos. Que tal?



 
DE ACIDENTE GASTRÔNOMICO À QUERIDINHO NA COZINHA – RISOTO, BELLO!

Só de pensar na pauta de gastronomia desta edição, a equipe da Revista Tudo já está com água na boca e combinando na casa de quem será a “noite do risoto”. O prato italiano caiu na graça dos brasileiros aos poucos, principalmente pela sua versatilidade e sabor incomparáveis. Coube a nós trazer sua história para essas páginas e presentear você com receitas de chefes renomados no final desta matéria. Prepare um bom vinho e vamos nessa!

História

Acredita-se que o risoto ou “pequeno arroz” nasceu a partir de um erro na receita original lá na Itália do século XI. Segundo historiadores, foram os sarracenos – forma como os cristões chamavam árabes e mulçumanos – que denominavam o norte do país na época, que trouxeram o grão usado para fazer o risoto para a região.
A iguaria desembarcou por aqui em meados do século XIX, trazido por imigrantes. Conforme o tempo foi passando e a criatividade brasileira aflorando, o risoto ganhou dezenas de ingredientes próprios, como: crustáceos, carne, frango, queijo e outras coisinhas mais.
Para fazer um autêntico risoto é preciso um arroz especial. Veja quais são e a diferença entre eles.




Separamos duas receitas de duas renomadas chefs brasileiras para você reproduzir para a sua família e amigos. Uma delas é da chef Carla Pernambuco, proprietária do restaurante Carlota, e a outra é da chef Silvia Pertucci, dona do restaurante Vinheira Pertucci. Ambas são profissionais premiadas e representam o Brasil na 10ª edição do guia “I Risotti dei Migliori Ristoranti del Mondo”, que traz as melhores receitas de risoto do planeta! Ou seja, que orgulho de nossas conterrâneas.
Ahhhh. Aqui coube apenas uma receita.
A outra você confere baixando, gratuitamente, o App da Revista Tudo na Apple Store ou Google Play. Lá você também encontra dicas especiais.


(Chef Silvia Percussi)

320g de arroz arbóreo
200g de cogumelos do tipo eringui frescos e fatiados
150g de cogumelos do tipo shimeji
150g de cogumelos do tipo shitake
100g de raiz de lótus
2 litros de caldo de carne sem gordura
01 cebola picada
01 colher de sopa de manteiga sem sal
04 colheres de sopa de parmesão ralado
02 cálices de vinho branco seco
Azeite
Sal a gosto
Salsinha picada
(Serve duas pessoas)

Embora existam muitas lendas que rodeiem sua história, a mais certa é que o risoto tenha sido criado em 1574 por Valério Di Fiandra – responsável pela criação dos vitrais da Catedral de Milão – durante a festa de casamento de sua filha.

No dia em que sua filha se casou, Fiandra fez um jantar onde um dos pratos principais era justamente o risoto. Dizem que durante o preparo, Valério deixou cair “acidentalmente” uma quantidade a mais de açafrão, dentro da panela. As aspas são porque alguns dizem que foi proposital, já que ele estaria com ciúmes pelo casamento. Só que, aparentemente, o tiro saiu pela culatra e os convidados adoraram o prato. A partir daquele dia nascia o “risoto allla milanese” ou risoto à milanesa.

Chegada em terras brazucas

Preparo

  • Arbóreo: esse é o mais comum no Brasil. Seu grão é mais comprido e bem desenhado. Sua composição contém pouca amilose, que é o que deixa o risoto mais firme e mantém a forma do grão, porém, não o deixa bem cremoso. A vantagem desse tipo de arroz é que ele retém o sabor e em apenas quinze minutos fica pronto.

  • Carnaroli: esse é o arroz preferido dos italianos. O grão é médio e fino, diferentemente do arbóreo. Ele possui uma quantidade maior de amilose, o que deixa o risoto bem cremoso. Seu preparo é de apenas dezoito minutos.


  • Vialono nano: o menor entre todos; tem um formato mais arredondado e também possui uma quantidade maior de amilose, o que deixa o risoto extremamente cremoso. Ele demora um pouco mais para ficar pronto, cerca de 20 minutos.


Olhe as receitinhas!


RISOTO 3 COGUMELOS E RAIZ DE LOTUS


Modo de preparo

Frite algumas fatias de lótus, tempere com sal e reserve. Em uma caçarola, leve ao fogo o caldo de carne e leve à ebulição em fogo moderado. Mantenha aquecido. Em uma panela, refogue a metade da cebola no azeite e, em seguida, adicione o arroz; refogue mais alguns minutos, regue com vinho branco seco, deixe evaporar. Em panela descoberta, regue o arroz aos poucos com este caldo, mexa e deixe cozinhar até ficar “al dente”. Inclua algumas fatias de lótus. À parte em outra panela, refogue os cogumelos fatiados no azeite com cebola picada, vinho branco e sal, e reserve. Assim que o arroz estiver cozido, retire-o do fogo, incorpore os cogumelos aquecidos, a manteiga e o parmesão ralado. Dica: decore com a salsinha picada e a raiz de lótus frita.

A receita de como se prepara Lotus você encontra baixando, gratuitamente, o App da Revista Tudo, pela Apple Store ou Google Play.


 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 Próximo > Fim >>

Página 2 de 5

Indique !