Mundo Pet
A gravidez psicológica em cadelas



A pseudo gestação também denominada pseudociese, conhecida popularmente como gravidez psicológica, é uma síndrome de alta ocorrência que acomete cadelas não gestantes no período de seis a quatorze semanas após o estro (cio). Nela as cadelas apresentam sinais físicos e comportamentais de gestação e amamentação, como se realmente estivessem prenhas e tido filhotes.

Estima-se que a frequência da pseudogestação em cadelas seja em torno de 50% a 70% e não há predisposição racial ou etária, bem como não há relação entre o desenvolvimento do quadro e o fato de a cadela já ter ou não gestado. Especula-se ainda que sua manifestação seja uma característica evolutiva herdada pelo cão doméstico, o que permitia que a fêmea dominante pudesse sair para caçar enquanto as outras ficassem amamentando os filhotes.

Estes sinais tendem a ser auto-limitantes e costumam desaparecer entre 40 a 60 dias, mesmo período em que os filhotes desmamariam.  Ainda assim, pode haver necessidade de tratamento com medicações que auxiliem a secagem do leite para evitar quadro de inflamação das mamas.

A castração pode ser aconselhável para o tratamento, uma vez que a cadela que apresenta pseudogestação tende a desenvolvê-la repetidamente, a cada ciclo reprodutivo.

Vale sempre reforçar que a castração é de suma importância, pois além de prevenir esta e outras doenças como as infecções uterinas (piometra) e reduzir a incidência dos tumores de mama, é a melhor maneira de controlar a natalidade em cães. O controle populacional de cães, por sua vez, evita o abandono e a propagação de zoonoses e trata-se, portanto, de uma questão de saúde pública. Consulte seu médico veterinário regularmente.

Os sinais clínicos mais comuns são:

- comportamento de ‘ninho’;

- adoção de objetos inanimados ou de filhotes de outras fêmeas com carinho, atenção ou proteção excessivos;

- lambedura do abdômen;

- aumento das mamas, produção e secreção láctea;

- ganho de peso e/ou falta de apetite.

Dra Simone F de Castro

Spécialité – Diagnóstico Veterinário

4702-3854 / 4702-4526 / 98311-6075

specialite.com.br

 
Você sabe o que é a Doença do Carrapato?


Também conhecida como hemoparasitose, a doença do carrapato tem alta incidência nos cães e trata-se de uma infecção causada por bactérias ou protozoários transmitidos através da picada de carrapatos infectados. As principais hemoparasitoses são a Erliquiose causada pela bactéria Ehrlichia canis e a Babesiose, causada pelo protozoário Babesia canis, ambas transmitidas por um ectoparasita, o carrapato vermelho, que é facilmente encontrado em canis, muros, telhados e troncos de árvores. A incidência de infestações por carrapatos aumenta no verão, uma vez que o maior calor e umidade favorecem a reprodução deste parasita.

É preciso esclarecer que para o carrapato transmitir estas doenças, ele deve estar previamente infectado, ou seja, ao picar um cão contaminado, se infecta e, a partir daí, torna-se um reservatório da doença, transmitindo-a para outros animais sadios no momento da picada. Tanto a erliquiose quanto a babesiose merecem atenção, pois têm potencial zoonótico e, portanto, podem ser transmitidas para os seres humanos.

As hemoparasitoses manifestam-se, na maioria das vezes, de forma branda ou assintomática, mas podem causar sintomas graves, principalmente nos indivíduos imunossuprimidos. Nos cães, geralmente ocorre febre, apatia, anemia, queda do número de plaquetas no sangue, icterícia (pele e mucosas amareladas), fezes e urina com coloração escura ou alaranjada, emagrecimento e sangramentos espontâneos.

O diagnóstico é baseado nos sinais clínicos acima citados e por meio de exames complementares como o hemograma e principalmente por meio de testes sanguíneos específicos para a detecção direta do hemoparasita.

Basicamente, o tratamento fundamenta-se no uso de antibióticos para a eliminação dos hemoparasitas.

Assim sendo, nota-se como é importante conscientizar-se da necessidade de controlar infestações por carrapatos, até mesmo por uma questão de saúde pública.

Consulte seu médico veterinário regularmente, somente ele pode indicar os melhores métodos para o controle deste ectoparasita tão perigoso.

Fonte:

Dra Jéssica Fernandes Reche Feitosa

Spécialité Diagnóstico Veterinário

Tel: 4702-3854 / 4702-4526 / 98311-6075

specialite.com.br


 
<< Início < Anterior 1 2 Próximo > Fim >>

Página 2 de 2

Indique !