Educação
A importância do vínculo na aprendizagem Acreditem neles, invistam também!


Ele não aprendia nada, na hora de fazer a lição de casa era um tormento! Não sabia o que fazer...Na Escola, vivia triste, de lado e quando eu ia conversar, todos me encaminhavam para fono, psicólogo, psicopedagoga...Minha rotina era marcar sessões, avaliar, pesar os valores, distâncias, logísticas etc... No ano seguinte, meu filho mudou de professora. Eu já estava calejada de tanto sofrer, procurando encontrar alguém que me desse uma esperança...Certo dia, cheguei um pouco mais cedo na Escola para buscá-lo e vi uma cena no mínimo inusitada: a professora nova e meu filho, sentados no banco do jardim da Escola. Eles conversavam...Ela sorria, ele gesticulava, falava...Fiquei observando de longe e então me aproximei e o chamei. A professora sorriu, se levantou junto ao meu filho, veio em direção a mim, me cumprimentou e então eu o levei para casa.


No carro, senti um brilho diferente em seu olhar, mas não quis fazer perguntas. Sabia que algo estava acontecendo.

Eu começava a perceber meu filho mais atento na hora das lições, comentando as coisas que aconteciam em sala de aula. Claro, as dificuldades continuavam, mas de um jeito diferente. Agora, havia um interesse, uma iniciativa diante das propostas de atividades...

Engrenamos na fono e na psicopedagoga, mas agora o trabalho fluía de uma maneira mais assertiva, produtiva!

O que aconteceu? O que mudou?

A resposta é:

Alguém olhou para o meu filho e começou a investir na construção de um vínculo!

Essa professora não queria saber do que já haviam falado dele, das dificuldades...Ela queria conhecê-lo e descobrir o que ele sabia, o que ele gostava...

Assim, meu filho cresceu e apareceu!

Hoje, ele continua sendo acompanhado, mas consegue participar de tudo junto com os amigos e o mais importante, está feliz!

Agradeço a essa querida professora!

Carta de uma mãe publicada em uma rede social recentemente!

Inspirados neste relato, podemos refletir sobre a importância do vínculo no processo de ensino-aprendizagem.

A criança necessita ser vista! A gente aprende onde se sente acolhido e querido! A gente devolve o que elaborou depois que confia, que acredita! Isso é vínculo! É uma mão sempre presente que não desiste e investe, não sossega... Busca sempre um viés, um caminho para agregar, para estimular, para trazer aquela criança para si!

Isso não se ensina em nenhuma faculdade! Faz parte da pessoa e também não pode ser cobrado de ninguém....

Estamos em férias! Logo, logo as aulas vão recomeçar!

Professores, reabasteçam-se de inspiração porque uma nova turma vai chegar!

Pais, procurem conhecer, olhar nos olhos dos professores de seus filhos! Acreditem neles, invistam também!

A vocês, crianças, só desejo brincadeiras e muitas descobertas!

É tempo de criar vínculos, de cultivar relações....

Vamos mudar histórias, inclusive as nossas!

Um bom ano a todos!

Deixo uma dica de um filme muito interessante para aprofundar a reflexão deste tema tão importante:

Acreditem neles, invistam também!

 
Férias....tempo de reavivar saberes

Por Adriana Rodrigues Xavier

Praia, sol, piscina, passeios e muita diversão...Geralmente quando pensamos no mês de janeiro, é isso que passa pela nossa cabeça!

Depois de um ano cheio de horários rígidos, dentro de uma rotina repleta de compromissos, tais como escola, natação, inglês, etc. a criança vai aproveitar as suas férias! Os pais geralmente acompanham esse período ou pelo menos boa parte dele, quando conseguem ajustar o tempo de férias de seus trabalhos aos de seus filhos. Assim, sob os olhos atentos de sua família, a criança passa mais de um mês imersa em um dia a dia bem diferente daquele vivido até mais ou menos meados de dezembro. Muitas vezes há alterações na rotina do sono, alimentação, mas o principal de tudo, o ponto em que quero chegar, é em relação à aprendizagem!

Sim, isso mesmo, a escola está em recesso, não há tarefas, mas também é hora de aprender, de crescer!

Ao longo do ano a criança esteve absorvida em um ambiente de emissão de conhecimentos, frequentes convites à participar, responder, repetir, transformar.  Dentro de cada proposta, um verdadeiro mar de ações a serem interpretadas pela criança: cantar, dançar, desenhar, pintar, falar, recortar, colar, correr, pular...Todos os dias, em um ritmo extremamente ativo e geralmente a partir do comando de um adulto, a criança faz tudo isso e muito mais!

Nas férias tudo se acalma e é assim que deve ser, pois é desta forma que a criança pode ter a oportunidade de desenvolver algo essencial à consolidação de todo o processo tão intenso vivido: ACOMODAR!

Sim, é preciso mudar o ritmo e os canais de estímulo para que tudo faça sentido, se acomode!

É preciso haver o ócio para o processo de aprendizagem se concluir por completo. Tudo aquilo que a criança fez, ouviu, falou, pintou e bordou durante o ano, se de fato pertenceu a ela, vai se acomodar com calma, suavemente enquanto ela faz o castelinho diante do mar ou enquanto brinca na casa do vizinho, ou ainda enquanto ela está comendo o pratinho de comida sossegada ou tomando a mamadeira na casa da vovó, ou até quando está assistindo o DVD preferido de pijama no sofá! É isso mesmo, em meio a essa rotina mais branda, milhões de associações estão sendo feitas, nossa criança está crescendo!

Além disso, nas férias temos mais tempo de fazer coisas diferentes e ir a lugares que ampliam muito o repertório cultural das crianças, como museus, teatros, viagens... Nas férias também podemos encontrar, conhecer ou rever amigos diferentes que nos ensinam ou nos dão a chance de acessar quem somos e o que sabemos, pois afinal de contas, como diz uma de minhas inspirações, o psicólogo russo Vygotsky: “Nós nos tornamos nós mesmos através dos outros!” Assim trocamos, reciclamos, ressignificamos nossas vivências e experiências.

Então, daqui há pouco a faixa de volta às aulas aparece novamente em frente às lojas e vamos nos preparar para voltar para a Escola, bem maiores, inteiros, empolgados, sentindo o cheiro do estojo novo de lápis de cor, ávidos por recomeçar, com os pés bem firmados no chão e a cuca bem fresquinha!

Aproveitem e desde já, desejo boa volta a todos! E já que estamos em férias, deixo uma interessante dica de passeio!


Aquário de são Paulo

Rua Huet Bacelar 407 – Ipiranga

www.aquariodesaopaulo.com.br

Fonte:

Adriana Rodrigues Xavier é pedagoga, psicopedagoga e diretora pedagógica da Escola da Carol

coordenaçã Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Próximo > Fim >>

Página 6 de 9

Indique !