Viajar é preciso
Caribe, um mar de azuis

 

Este é um destino paradisíaco e eclético, pois há lugares para todos os gostos! Alguns são ideais para descansar, outros oferecem animada vida noturna, e há também aqueles que misturam um pouco de tudo. O Caribe é formado por dezenas de ilhas e ilhotas, cada uma com suas peculiaridades, costumes, culturas e idiomas distintos. Uma das coisas mais interessantes é que em uma área relativamente pequena pode-se ter experiências completamente distintas. Suas praias são paradisíacas, a maioria com aguas azuis turqueza e areias brancas.

Vamos conhecer as peculiaridades de cada ilha:

Anguilla – A pequena ilha pertence aos britânicos e tem praias maravilhosas, com águas azuladas e transparentes. O lugar é procurado por quem deseja relaxer, longe do agito, logo, algumas celebridades querendo sossego estão entre os turistas. Como a ilha é muito pequena, não há muito o que fazer além de visitar as praias. A estrutura hoteleira é perfeita. Para chegar em Anguilla, é só pegar um barco ou avião saindo de ST Martin.

Aruba – A “mini Cancún”. O lugar foi colonizado por holandeses, mas a presença Americana é muito por forte por lá. A ilha tem algumas das maiores redes hoteleiras do mundo na beira da areia, permitindo que os visitantes tenham uma bela vista para o mar ao acordar e fácil acesso à praia. Aruba é indicada para quem quer desfrutar da estrutura de um bom hotel, mas também poder fazer algumas compras, comer em restaurantes variados e curtir a vida noturna. As praias da ilha têm águas muito tranquilas, e uma das atividades preferidas de quem visita o lugar é passar o dia boiando no mar.



Suas praias são belíssimas, de mar-azul turquesa e areias branquíssimas,

ideais para famílias com crianças, uma vez que o mar é raso e permite que se ande até grande distância sem afundar. As mais conhecidas são Eagle Beach, Palm Beach, Druif Beach e Manchebo Beach. As duas primeiras concentram a maior parte dos hotéis e resorts, além do comércio e das badaladas casas noturnas. Palm Beach é considerada a melhor praia de Aruba, por possuir resorts com excelente infraestrutura “pé na areia”. Mais distante do centro, Baby Beach é apenas acessível por carro. Essa praia é mais calma e tranquila. A ilha também é indicada para mergulho.

Em setembro, a ilha sedia um Festival de Música Eletrônica, um dos principais eventos do ano em toda a região do Caribe, atraindo um público considerável. O evento acontece à beira da praia, sendo possível fazer a festa por terra ou a bordo de barcos no mar. Juntamente com o festival ocorrerão sessões de gravação e oficinas de DJs, com “aulas” de grandes DJs, produtores e artistas.

Para saber mais, acesse o site do evento www.electricfestival.com.

Cancún, México. Um dos destinos mais visitados do Caribe. A cidade mexicana é um verdadeiro parque de diversões a céu aberto, com opções de entretenimento para pessoas de diferentes idades e gostos variados. O lugar tem hotéis de qualidade na beira do mar, pontos turísticos históricos, parques aquáticos, passeios de diversos tipos, bons restaurantes, vida noturna e shoppings. O lugar tem uma ótima estrutura, boas praias e entretenimento.

A cidade é dividida em cinco zonas:

Isla Cancun, onde fica a zona hoteleira, a maior parte das praias, resorts, condomínios e atividades turísticas estão no local.

A Zona urbana, que é o centro, com a maior parte das prestações de serviços, instituições políticas, sociais e culturais.

Puerto Juárez, que dá acesso por barco ao município de Isla da Mujeres, a zona pesqueira.

Franja Ejidal, a região dos assentamentos, que abriga parte da população de baixa renda.

Alfredo V. Bonfil, localizada a 8 km do centro de Cancun, sobre a rodovia federal 307, que dá acesso a Riviera Maya e ao aeroporto internacional.

Gastronomia

A gastronomia de Cancun é muito variada, desde o típico mexicano até pratos sofisticados da cozinha internacional. No comando da cozinha dos melhores restaurantes e hotéis, os chefs mesclam seus sabores com autenticidade, resultando numa culinária que conta com uma grande lista de especialidades.

Seus restaurantes à beira-mar com tetos de palha dão um charme todo especial ao pedaço. Ao todo são 22 km de extensão de praias. Para os amantes de mergulho, as praias indicadas são

Playa Langosta e Playa Tortugas. Já para os esportes radicais, uma boa opção é a Chacmool, localizada no lado caribenho do mar de Cancún, de ondas altas e correntes, às vezes traiçoeiras. Esta tem as mais badaladas casas noturnas, ponto de esqui aquático e parasail.

A praia Delfines, na ponta sul de Cancun, é a mais reservada, com pedras que formam mirantes, a preferida dos surfistas.

Mas antes do banho de mar, observe sempre as cores das bandeiras que sinalizam o tipo de correnteza pertencente àquela área. Se for preta, a orientação é que não se deve entrar; Se estiver vermelha ou amarela, tenha cuidado;  se estiverem verdes ou azuis, aproveite!!!

Ressorts: Cancun tem muitos Ressorts, todos muito bem equipados e com infraestrutura perfeita. Basta escolher o que combina melhor com você.

Cartagena, Colômbia –  Um verdadeiro tesouro para quem deseja mergulhar no passado, caminhar por ruas estreitas de pedra, visitar pontos turísticos históricos e construções coloniais. A cidade, Patrimônio Histórico da Humanidade, foi fundada no ano de 1533 por Pedro de Heredia e conserva a arquitetura colonial de suas construções e o conjunto de fortificações mais completo da América do Sul. Um dos pontos imperdíveis é o Castelo de San Felipe, alem das igrejas um vulcão de lama. A cidade sedia alguns festivais dedicados de cinema e música clássica. É mais um lugar com pontos históricos com a facilidade de ter praias, do que um destino litorâneo. O ideal é um roteiro que contemple Cartagena e San Andrés: os dois destinos se complementam, misturando paisagens naturais e urbanas.

Cozumel – Parada de navios que passeiam pelo Mar do Caribe, Cozumel é indicado para mergulhadores e quem quer apreciar a paisagem com tranquilidade. A ilha tem opções de restaurantes e bares, além de lojinhas para fazer compras de perfumes ou lembranças de viagem. Cozumel, tem boa parte da costa pedregosa, lugar para nadar com golfinhos, bons hotéis e estrutura para passar alguns dias, mas a maioria de seus turistas querem mergulhar. A ilha é conhecida como um dos melhores lugares do mundo para mergulho.

Curaçao – Um gostinho de Europa no meio do Caribe. Curaçao esbanja charme com o colorido de suas casinhas de colonização flamenga sobre o reflexo de suas águas azuis. Diz a lenda que elas são coloridas porque um antigo governante acordava todos os dias com dor de cabeça e, ao olhar pela janela, o reflexo branco das suas fachadas só fazia piorar a dor. Para minimizar o problema, o governante ordenou que todas elas fossem pintadas de cores diferentes.

E o que chama a atenção do turista, além das águas azuis é o clima quente durante o ano todo e o fato de estar fora da rota de furacões. A capital, Willemstad, é desde 1997 considerada pela Unesco Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Está dividida em Otrobanda e Punda, ligadas por uma ponte que flutua para não impedir o tráfego de embarcações. Algumas praias são pagas, mas muitas  vezes o valor é convertido em uma boa estrutura, como chuveiro, cadeiras e guarda-sóis disponíveis. A ilha é indicada para praticar mergulho e para quem acha bacana alugar um carro e cada dia explorar uma praia diferente, pois o transporte público é muito fraco por lá. Curaçao tem bons restaurantes, lojas interessantes para fazer compras e um povo receptivo.

Isla Mujeres, México – Muita gente visita Ilha Mujeres, próxima a Cancún, em um passeio de um dia, mas o lugar merece mais do que isso. A ilha tem uma estrutura tímida quando comparada à vizinha famosa, mas é ideal para quem deseja desfrutar de praias de águas cristalinas e calmas e para fazer mergulho.

Playa del Carmen, México – Playa del Carmen fica na península de Yucatán, a cerca de 65 km de Cancún, porem n é um destino mais rústico e simples, mais charmoso e frequentado principalmente por Europeus. A área turística da cidade é animada e quem se hospeda perto do burburinho, anda à pé. O local é muito agradável, com praias lindas e sossego.

Providência e Santa Catalina, Colômbia – são duas pequeninas ilhas a pouco mais de 20 minutos de voo de San Andrés, na Colômbia. As duas são destinos incríveis para quem deseja se isolar, descansar, esquecer internet e simplesmente curtir o mar e a natureza. Ambas têm praias de águas calmas e com pouca gente, e uma grande barreira de corais, o que faz com que boa parte de seus visitantes procure empresas para fazer mergulho.

Punta Cana, República Dominicana: Um ótimo custo-benefício. O lugar é praticamente dominado por resorts all inclusive cheios de estrutura e a diversão é toda feita dentro dos hotéis mesmo, não é preciso sair deles para nada. Para completar os “árduos” dias em um litoral de águas claras e mornas, com coqueiros a perder de vista, a pedida é fazer alguns passeios, quase todos eles ligados ao mar.

San Andrés, Colômbia, o “mar de sete cores” – Um dos principais destinos turísticos do país. O mar é um espetáculo, com diversos tons de verde e azul. O lugar ainda é um tanto rústico e merecia uma estrutura hoteleira melhor, mas há ótimos restaurantes para comer peixes e frutos do mar. Os preços em San Andrés são muito bons, principalmente para fazer compras – a ilha é livre de impostos.

St Barth (Saint Barthélemy) – ilha que pertence à França, próxima de St Martin e St Maarten q. O lugar é peculiar, com morros, praias cercadas de verde e águas azul-turquesa convidativas para um mergulho no mar. O lugar é badaladíssimo no verão, frequentado por famosos e ricaços com iates enormes. Tome cuidado só com o preço, tudo em Euros.

St Martin e St Maarten – Uma ilha, dois “países”. Na parte de cima, St Martin, território francês e na parte de baixo, St Maarten, holandês. Apesar de ter sido colonizada por dois países diferentes, a ilha é multicultural. Por lá fala-se inglês, francês, holandês e muitos imigrantes da América do Sul falam espanhol. São tantas praias diferentes, que é difícil eleger as melhores. Tem praia para quem curte balada, praia deserta, praia de nudismo, praia para observar aviões pousando, todas com um azul de dar água na boca. A estruturada hoteleira é impecável e para todos os bolsos.

Varadero, Cuba -  É o lado capitalista de Cuba. São 22 km de areias brancas e sol quente o ano inteiro. O mar tem águas claras e possui uma série de barquinhos a vela. Há shoppings centers, parques e passeios para alegrar os turistas.

 

Fontes:

Melhoresdestinos.com,br

Aruba.com.br

electricfestival.com

cancun.com.br

 

 
Romênia, muito mais que a Terra do Drácula

Paisagens inigualáveis e muita história

 

Alguns dizem que a Transylvania, na  Romênia, tem um dos mais fortes campos magnéticos da Terra e que seu povo têm percepção extra -sensorial. Em algumas datas, como dia de São George (23/04) e na véspera de St Andrew (29/10), acredita-se que vampiros se penduram nas encruzilhadas. Pois é nessa região que vive o conde Drácula. Não importa se você acredita ou não, mas quando estiver percorrendo as estradas sinuosas do pedaço, cercadas de florestas escuras no meio das montanhas, terá certeza de que o drácula vive por ali. Contos sobrenaturais já eram tradição há muitos séculos quando Bram Stoker começou a recolher lendas locais para escrever seus contos. O de maior sucesso foi o Conde drácula, inspirado em uma das figuras mais conhecidas da Transilvânia, Vlad Dracula, que foi governante de Valáquia várias vezes.

Mas a Romênia não é apenas isso. Seu território é cortado por montanhas e muitos rios e lagos abriga sete patrimônios mundiais eleitos pela UNESCO, o que rendeu ao país o título de um dos melhores destinos a serem visitados. Os Cárpatos atravessam o centro do país. As florestas têm uma das faunas mais ricas da Europa, incluindo ursos, veados , linces e chamois. Para entender um pouco do local, é bom saber de sua história.

A Romênia foi durante muito tempo parte do império otomano, que incluía partes da Europa (Balcãs e Cáucaso), Norte da África e Oriente Médio. Com a invasão soviética no final da Segunda Guerra Mundial, o país se tornou comunista até 1989, quando o presidente ditador  Nicolau Ceaucescu foi deposto durante a Revolução Romena. Hoje o país é democrático e alinhado à Europa Ocidental. Basicamente, o território reúne características da Europa Central, do Leste Europeu e do Bálcãs em uma combinação única. O que mais chama a atenção de todos que passam pelo país são as fortes tradições folclóricas que sobreviveram até hoje graças às comunidades romenas rurais que sustentaram suas práticas por tantos anos.

Bucareste

É capital e a principal cidade da Romênia. Reúne 37 museus, 22 teatros, 18 galerias de arte, casas de ópera e salas de concerto.

A primeira vista não atrai muito, mas é preciso entender que ela sobreviveu aos bombardeios da segunda Guerra e dois grandes terremotos. Sofreu também a influência da estética comunista. Bucareste é um grande museu do comunismo a céu aberto. Carros soviéticos caem aos pedaços pelas ruas e blocos de edifícios caquéticos equilibram-se como podem sobre suas estruturas.

O edifício do parlamento, o Palatul Parlamentului , é o segundo edifício mais volumoso do mundo depois do Pentágono Americano. Através dele é possével entender a megalomania do ex-ditador comunista Nicolae Ceaușescu.

Visita obrigatória é o antigo centro da cidade (perto Lispcani), onde ficam os edifícios históricos e lindas igrejas, como a Stavropoleos. Um lugar para se visitar é a Caru’ cu Bere, que exibe garçonetes de vestidinhos de mangas bufantes servindo cerveja artesanal e pratos típicos. Em um edifício com vitrais e piso de mosaico, esta cervejaria ainda acolhe turistas em clima de festa e ao som de violinos.

Mas quem gosta de arte e história também não fica na mão em Bucareste. O Muzeul National de Arta Romaniei abriga 12 mil obras europeias, além de uma vasta coleção romena, dentro de um magnífico palácio do século 18. Fora do centro, à beira do lago Herastrau, o Muzeul National al Satului é um passeio ao ar livre entre ícones da Romênia rural: moinhos, casas de campo, carroças e muito mais.

Transilvânia

A Romênia é a terra dos castelos, com mais de 190 construções tradicionais espalhadas em seu território, a grande maioria na Transilvânia, como o conhecido Castelo do Drácula. Lá também fica o maior museu de sal do mundo, junto à salina Turda, criada no século 17. Também é da região a segunda maior caverna de gelo do mundo. A formação tem 3.500 anos e permite a visitação do público para admirar suas impressionantes estalagmites de seis metros de altura.

Na Transilvania também ficam algumas cidades medievais preservadas, como Brasov, com arquitetura saxônica e cheia de ruinas; Sibiu com ruas de pedras e casas coloridas em tons pastéis e Sighisoara, com  passagens secretas e uma torre do relógio do século 14. Em todas elas, lojinhas vendem souvenirs de artesãos locais. Próximo a Brasov e Bran ficam as igrejas de Harman, com torres saxônicas do século 13, e Prejmer, a maior igreja do sudoeste da Europa.

Nos pequenos vilarejos da Transilvânia ainda é possível encontrar pastores , tecelões , ferreiros e carpinteiros.

Moldávia

Moldavia também tem muita tradição folclórica. Suas  igrejas ortodoxas são responsáveis por mais de meio século de história. Um dos monumentos mais famosos  é a Igreja dos Três Hierarcas, construído em 1639. Outro marco importante é o palácio neo- gótico da Cultura, construído entre 1900-1926. Lá estão o Museu Etnográfico , o Museu de Arte e do Museu de História da Moldávia.

Situada nas colinas do norte da Moldávia, a região da Bucovina abriga um dos maiores tesouros de arte do mundo: os sítios Património Mundial da UNESCO dos mosteiros pintados de Bucovina.

Para uma viagem aos mosteiros, o melhor ponto de partida é a cidade de Suceava. Uma vez capital da Moldávia, tem muitas atrações, como os restos da fortaleza de Suceava, de 1388. Outros pontos turísticos são a George Church St. (Património Mundial da UNESCO) , Igreja Mirauti , o Mosteiro Zamca e uma série de museus dedicados a woodcraft , etnografia , história e arte popular.

Uma visita a Bucovina ainda merece as caminhadas pelo Parque Nacional Ceahla, o  Olympus da Romênia - a montanha sagrada dos dácios, os antepassados ​​do povo romeno. São cerca de 90 espécies diferentes de aves para se apreciar.

Danúbio

O Delta do rio Danúbio é uma das paisagens mais belas de todas com uma das maiores biodiversidades do mundo. Depois de passar por 8 países, o rio desagua no Mar Negro. O vilarejo de Sulina é um dos diversos pontos de partida pra quem quer explorar a região. Mas chegar a Sulina não é uma aventura. Como não há rodovias no delta, o transporte de passageiros é feito através das várias companhias de barcos privados, e também pela Compania de Navigație Fluvială Română – NavRom. Os barcos partem de Tulcea, e levam entre 1h30min e 4h,  dependendo da velocidade do barco e do valor que você quiser pagar.

De Bucareste pra Tulcea, pode-se pegar um microônibus que tem várias partidas ao longo do dia. Outra opção é o trem que sai de Bucareste às 6h40 da manhã, com previsão de chegada a Tulcea ao meio-dia. De Tulcea pega-se o barco a caminho de Sulina.

Praias

Se a ideia é ficar no mar, a melhor pedida é visitar a costa do mar negro. O clima é quente, com muitas praias de areia, monumentos antigos, vinhas e resorts para você passer um tempo.

Os principais resorts do mar da Roménia e incluem de Mamaia, Eforie, Neptun, Júpiter, Vênus , Saturno e Mangalia. .

Muitos dos spas são recomendados em tratamentos terapêuticos. Alguns na Magália são especializados em banhos de lama.

Muitos motivos podem te levar ao país. História, lendas, riqueza do folclore, paisagens deslumbrantes, gastronomia e tratamento de beleza. Boa viagem!

 

Fontes:

 maiscuriosidade.com.br

megacurioso.com.br

romaniatourism.com

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 7 de 23

Indique !