Viajar é preciso
BIENVENIDOS!




URUGUAI, O VIZINHO “BUENA ONDA”

Destino tradicional, o Uruguai vem ganhando cada vez mais espaço no coração dos brasileiros.

E é de 800 mil a estimativa do governo uruguaio em relação ao número de turistas brasileiros que visitaram o país em 2016. A expectativa dos hermanos é de que, até 2020, chegue a mais de um milhão. Não duvidemos.

Pequeno em tamanho – é o segundo menor país da América do Sul, com 3 milhões de habitantes –, mas gigante em afeto, fazendo com que o povo uruguaio seja considerado um dos mais receptivos e calorosos, o Uruguai oferece atrações que contemplam a todos. Seja se jogando no Carnaval uruguaio com duração de – (pasmem!) – 40 dias, pedalando pelas “Ramblas” – orla do Rio de La Plata – na capital Montevidéu - uma ótima forma de desbravar a cidade, diga-se de passagem, experimentando a famosa parrillada acompanhada de um bom vinho em Colonia Del Sacramento - conhecendo cidades históricas ou, então, relaxando em Laguna de Rocha, local praticamente intocável, perfeito para quem pretende desacelerar e repor as energias.

Olhe, não importa: você com certeza vai achar o programa ideal. Isso porque o país possui uma ótima infraestrutura turística e oferece aos visitantes o que há de melhor neste sentido. Outro ponto alto dos nossos vizinhos é, sem dúvidas, a gastronomia. A carne é a base da maioria dos pratos tradicionais uruguaios e está entre as melhores do mundo. Se você é carnívoro de carteirinha do alimento, vai se dar bem.

Vale ressaltar que o Uruguai é uma ótima pedida para todos os tipos de viagem: em família, com amigos ou até mesmo sozinho (a) – o que vem se tornando cada vez mais comum, principalmente, em relação a viajantes mulheres – independentemente do que o (a) turista esteja buscando, que pode ir desde uns dias desconectado até noites ininterruptas regadas à roletas, dados e baralhos nos famosos (e permitidos) cassinos.

Se você não curte muito o verão, nossa dica é: visite o país nos meses de novembro e março, quando os dias são amenos e os preços mais baixos. Passagens aéreas – ida e volta – pela CVC Viagens custam, em média, 920 reais (com as taxas).

Assim sendo, a equipe da Revista Tudo informa que o voo com destino às terras uruguaias já vai decolar. Apertem os cintos!


De carro

É possível chegar ao Uruguai em terra firme. O melhor caminho até as praias uruguaias é pela BR-116, de Porto Alegre em direção a Pelotas, e de lá em direção ao Chuy. Garanta um GPS com mapa uruguaio (não use o do celular, que consome franquia de internet no Exterior). As estradas do país são impecáveis: planas, bem sinalizadas e com pouco movimento. Você só vai precisar interromper a viagem se quiser tirar fotos das longas paisagens de pecuária ou comprar queijo colonial e empanada à beira da rodovia. Atenção: Carta Verde é o seguro obrigatório para veículos que ingressam em países do Mercosul. Ele deve ser apresentado no momento de cruzar a fronteira com o país vizinho. Outra informação importante: O combustível é um dos principais gastos para quem vai de carro. A gasolina por lá não é barata



HASTA LA VISTA, BRASIL!

Desde outubro de 2014, uma lei uruguaia descomplica pedidos de residência feitos por cidadãos membros do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Venezuela e o próprio Uruguai). No caso dos brasileiros, – que equivalem a 18% dos pedidos de imigração –, é possível acessar a residência no país de forma simples, rápida e sem custos. A facilidade fez com que os números de pedidos crescessem – 6 mil em 2015, 8 mil em 2016 e quase 20 mil em 2017.

Entre os brasileiros que embarcaram de “mala e cuia” para terras uruguaias está a atriz paranaense Lia Machado. Ela e a família se mudaram para Montevidéu em fevereiro de 2016, após o marido ser transferido de empresa. Segundo conta, o destino é mesmo apaixonante. “A cidade é linda e os uruguaios tratam os turistas brasileiros muito bem. Quem conhece, quer voltar. Vale super a pena conhecer como turista”, conta. E morar? “Aí depende do que você quer e do que está disposto a sacrificar. No nosso caso, temos uma vida confortável, mas modesta”, conta.

Lia diz que em relação a sua área, encontrou na cidade uma cena teatral animada e um povo entusiasmado em saber mais sobre a cultura brasileira. Entretanto, reconhece que a mudança não é para todos. “Se você é um mochileiro em busca de experiência cultural, disposto a ganhar o suficiente apenas para comer e dividir o aluguel com amigos, é incrível. Agora, é mais problemático se for alguém que queira refazer a vida em outro país, depois dos 50 anos. Muita gente sai desesperada do Brasil achando que aqui vai dar tudo muito certo, com uma visão fantástica sobre Montevidéu e o Uruguai. Só que às vezes ignoram que, na verdade, é bem difícil. O custo de vida aqui, infelizmente, é muito alto”, finaliza.

TOUR GASTRONÔMICO

Sabe qual é a probabilidade de você visitar o Uruguai e não cair de amores pela gastronomia local? Zero. Os pratos à base de carne são as grandes estrelas de bares e restaurantes. O carro-chefe é a “parrilla”, que servida com “chimichurri” – molho à base de ervas – e batatas fritas, é de comer rezando. Para a hora do lanche, o tradicional “chivito” – sanduíche feito com carne e inúmeros acompanhamentos – é uma ótima pedida. Para a sobremesa, peça doces a base de “dulce de leche” (doce de leite, em espanhol), uma das iguarias que mais fazem sucesso entre os turistas. Ah! E não deixe de experimentar os “almajores”!
Separamos as melhores opções de onde comer. Confira no APP da TUdo opções de restaurantes apaixonantes com pratos sofisticados a partir de 675 pesos ou 75 reais.



DESFRUTANDO

O mínimo que esperamos de um país cujo o Carnaval é celebrado durante 40 dias é, sem dúvidas, outras atrações tão incríveis quanto. E não é que o danado deu conta do recado? No APP da TUdo tem um roteiro carimbado para você curtir o Uruguai de cabo a rabo, como a Casa Pueblo, o museu mais famoso do país - a construção é obra do artista plástico e escritor uruguaio Carlos Vilaró (1923-2014) - e Punta Del Diablo, para uma surf trip merecida.

PERNAS PARA O AR

Como dissemos antes, a infraestrutura turística oferecida pelo Uruguai é excelente. Quando se trata de repor as energias então... nem se discute. No APP da TUdo é possível encontrar uma seleção preparada especialmente para você, com preços a partir de 335 reais a diária, com café da manhã incluso.



JURA?

Confira fatos curiosos que fazem do Uruguai um pedacinho de terra ainda mais interessante:

  • O Rio Grande do Sul é a única fronteira terrestre do Uruguai, já que as demais são por água;

  • No verão, o sol fica no céu até às 22h;

  • Os cassinos são liberados e rendem uma significativa receita em impostos para o governo;

  • O Uruguai foi o primeiro país da América Latina a reconhecer a união civil entre pessoas do mesmo sexo, assim como o primeiro a liberar o consumo da maconha;

  • Muitas casas são identificadas por nomes próprios, ao invés de números. O hábito começou no século XVI e era um modo de o dono do imóvel indicar sua profissão, família, origem ou status: a “casa do doutor” ou “dos Martinez”.

  • O Uruguai foi o primeiro país a sediar uma Copa do Mundo (1930), assim como também o primeiro campeão da história;

  • O carnaval de lá é o mais longo do mundo, com 40 dias de duração. Além de desfiles de grupos carnavalescos – chamados por lá de comparsas – o evento inclui apresentações de teatro, música e dança. Os uruguaios gostam tanto de seu carnaval que construíram até um museu para preservar a sua memória.

  • Existe uma lei que proíbe o sal nas mesas dos restaurantes; caso você queira, deverá pedir ao garçom. Seu objetivo é proteger a saúde da população;

  • A taxa de analfabetismo é praticamente nula;

  • É muito comum ver os uruguaios tomando o mate (ou chimarrão, no Sul do Brasil), pelas ruas. Eles sempre levam suas cuias e as térmicas com água quente. Algumas pessoas também levam mateiras, que são bolsas de couro para transportar os acessórios do chimarrão.





 
XEXUÃO – A “CIDADE AZUL” DA COR DO MAR


Localizada no Marrocos, a região encanta tanto quanto o próprio oceano

 

Que atire a primeira pedra quem leu no subtítulo desta matéria a palavra “Marrocos” e não pensou automaticamente na novela “O Clone” (2001), da autora Glória Perez. Na época, o país africano não era tão conhecido em terras brazucas até virar cenário da história de amor de Jade (Giovanna Antonelli) e Lucas (Murilo Benicio) protagonistas do folhetim global. Atualmente, o Marrocos recebe muitos turistas brasileiros que são atraídos por sua gastronomia, hospitalidade, singularidade cultural e cidades lindíssimas – uma delas, estrela desta edição. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o país é bastante seguro, diferentemente de alguns de seus vizinhos. Além disso, é um destino barato, onde o turista desfruta das melhores opções e ainda traz presente para a família toda sem gastar uma fortuna. Agora, sem mais delongas, aperte os cintos e embarque com a equipe da Revista Tudo para o continente africano e conheça Xexuão, a Cidade Azul.

O azul simboliza serenidade, sinceridade e confiança. É a cor do bem-estar. Pensar nisso dá uma tranquilidade imensa, não é mesmo? E se te dissermos que existe um lugar onde tudo é azul – casas, prédios, comércios, ruas? Pois é! É aí que entra o nosso destino.

Xexuão ou Chefchaouen está localizada no norte do Marrocos e possui, aproximadamente, 40 mil habitantes – ou seja, é bem pequenininha. A cidade foi fundada em 1471 pelos mouros que vieram exilados da Espanha, com o objetivo de servir como fortaleza aos ataques invasores dos portugueses. Na época, com a chegada de judeus e mulçumanos refugiados, Xexuão se fechou completamente a estrangeiros e, durante séculos, acolheu apenas peregrinos. Para se ter uma ideia, o isolamento em relação ao resto do mundo foi tão intenso que, quando os espanhóis chegaram e ocuparam a região em 1920, se surpreenderam ao encontrar judeus ainda falando uma língua que não se ouvia no país europeu há 400 anos.

A origem do nome é espanhola e significa “Olhe os Chifres”, em alusão a sua localização na região das montanhas RIF – consideradas sagradas e famosas por serem um local de peregrinação onde estão enterrados antigos profetas locais – entre os picos de Tisouka e Megou que, juntos, formam dois chifres. Os vários tons de azul que predominam por toda a região – do mais ameno ao mais vibrante – dão a impressão de estarmos acima das nuvens.

A tradição de colorir esse pedacinho tão peculiar da Terra de azul surgiu logo após a sua fundação, através dos judeus, que buscavam abrigo enquanto fugiam da Inquisição Espanhola no fim do século XV – e onde permaneceram até meados do século XX, quando se mudaram para o então, recém-formado, Estado de Israel. E ainda que hoje a população judaica não seja tão numerosa quanto naquela época, os moradores ainda preservam a tradição e renovam a pintura de suas casas regularmente.
A escolha dessa tonalidade específica, na verdade, é incerta, porém existem algumas teorias que buscam desvendá-la: uma delas diz que os judeus tinham o objetivo de reproduzir a visão do paraíso, como se fosse uma espécie de lembrete de que Deus e o céu estão acima de qualquer coisa. A outra teoria é de que o azul remete à cor de objetos sagrados do Velho Testamento. Ainda tem quem diga que a cor foi escolhida para espantar mosquitos (!).



As casinhas e prédios azulados estão presentes, em sua maioria, no centro histórico da cidade. A nossa dica é que você comece seu tour pela Medina, um labirinto repleto de vielas, escadarias e edifícios de arquitetura moura e espanhola.

Logo depois, vá até a praça Uta Al-Hamman – ponto central de Xexuão. Ali você encontrará centenas de lojinhas de presentes, cafés e restaurantes. Dica: experimente o famoso chá de menta, é incrível!

Se você aprecia História e Arte, não deixe de visitar a mesquita Yamma el Kebir e o museu Kasbah – a vista que a torre do local possui, além de todo o seu acervo, vale a visita, pode apostar!

Já para os apaixonados por esportes radicais e amantes da natureza, as montanhas que rodeiam Xexuão, onde está localizada a floresta Talassemtane, isolada e pouco frequentada, é perfeita para os praticantes de alpinismo, trekking e parapente.

Não deixe de dar um pulo nos minifúndios, que se parecem muito com as chácaras brasileiras, onde é produzido o queijo de cabra, iguaria da região. Hmmm!

Para fechar o roteiro, vá até as cachoeiras de Akchour – vila que fica a 40 minutos de Xexuão e está rodeada por montanhas e paisagens fabulosas. Nossa dica é que você pegue um táxi compartilhado até o vilarejo e de lá saia para fazer a trilha de duas horas até as quedas d’água.

De São Paulo para a Cidade Azul não existem voos diretos. Para chegar até ela, é preciso ir primeiro até cidades próximas; Casablanca – a 338 km de distância – é uma delas. O valor da passagem pela CVC Viagens e a Air France é de 6.537 reais.
De lá, as opções para chegar a Xexuão são inúmeras.

Com toda a certeza, um destino para toda a família! E aí? Malas prontas?


Curiosidade
A região é uma das maiores produtoras de maconha do mundo e a maior de haxixe.



CORAÇÃO MARROQUINO

A estudante intercambista Abir Kellitou, de 24 anos, é espanhola na certidão de nascimento e marroquina de coração. Com mãe europeia e pai africano, Abir cresceu entre os dois países – mas é pelo Marrocos que o coração dela bate mais forte. “Como minha origem é mulçumana, sofri muito com a xenofobia e o racismo na Espanha. Mesmo eu sendo espanhola, tenho traços marroquinos e isso me causava problemas na escola. Por esse motivo me sentia muito melhor no país de meu pai. As pessoas são muito receptivas, tenho muitos amigos lá e vou com frequência visitá-los”, conta ela. Sobre a Cidade Azul, Abir é só elogios: “Xexuão é muito linda, ideal para relaxar! É um destino barato, que oferece muito em cultura e cordialidade. Já fui algumas vezes e em todas elas me surpreendi”, argumenta.
Confira os locais prediletos de Abir no APP da Tudo!

ONDE SE HOSPEDAR
Veja no APP da Revista TUdo opções a partir de 187 reais.



 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 24

Indique !