Comportamento
Faça seu 2017 melhor


E mais um ano chega ao fim e com ele todas as mensagens de esperança e motivação começam a surgir, a música de final de ano da Globo e até mesmo a música da Simone cantando, então é natal.... Todos esperamos que a virada de ano faça realmente "aquela" diferença, aquela mudança radical que vai nos colocar nos trilhos e mudar radicalmente nossa vida para melhor, a pergunta que surge então é COMO?

2017 será realmente diferente se eu continuar agindo e fazendo as coisas da mesma forma? Será que se eu continuar no emprego que eu vivo reclamando, vai ser mesmo diferente em 2017? Será que se eu continuar falando mal do meu cônjuge, ele (a) vai mudar? Se eu continuar culpando os outros como eu me sinto, ou como está minha vida, será mesmo que 2017 será melhor? 

Infelizmente essa não é uma mensagem motivacional, acredite. Se você continuar reclamando, criticando ou fazendo as coisas como sempre fez, sua VIDA NÃO VAI MUDAR em 2017.

Mas..... Se você assumir a real responsabilidade da sua vida, de como se sente e dos seus resultados e fizer diferente, sua vida em 2017, eu garanto, será diferente, muito diferente e muito melhor.

Existe um conceito chamado auto-responsabilidade, onde a pessoa assume 100% da responsabilidade dos resultados ou circunstancias em que sua vida se encontra. A pessoa auto-responsável sabe que se não esta satisfeita com a vida que tem levado, ela tem o poder de mudar a situação ou a si mesma, tendo assim muito mais autonomia e controle sobre a vida e resultados.

Meu convite a você nesse novo ano que se inicia é :

- Elogie mais as pessoas

- agradeça seu emprego, porque ele provê seu sustento, sua casa, sua comida....

- Ame mais a si mesmo, permita-se ser quem é e procure ser melhor a cada dia

- Ame mais o próximo sem esperar e nem cobrar retorno

- brinque mais com as crianças, as brincadeiras sugeridas por elas

- Estude mais

- Leia Mais, livros que te ajudem a construir uma carreira profissional melhor ou que te ajudem espiritual e mentalmente

Se permita ser diferente e fazer diferença na vida das pessoas ao seu redor

Construa diariamente o seu 2017 melhor.

 

BOX

6 leis da autoresponsabilidade:

Se for para criticar, se cale

Ao invés de reclamar, de sugestões

Pare de buscar culpados e foque na solução

Ao invés de se fazer de vitima, faça-se de vencedor

Antes de justificar seus erros e fracos, aprenda com eles

Não julgue as pessoas, julgue apenas suas atitudes

 

 

Ailin Schiavetto (Master Coach, palestrante, analista comportamental de perfis pelo Soar)

11 98174-4929, Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , facebook.com/ailinmastercoach



 
Birra infantil: Entenda o que a criança quer comunicar

Por Lucia Amaral

 Pirraça, insistência, aborrecimento, irritação, cisma, teimosia, capricho, implicação... esses são alguns sinônimos da birra infantil.

Com certeza você já presenciou a cena de uma criança estendida no chão, em local público, acompanhada de gritos explosivos, pedidos impulsivos, pessoas e pais impotentes, envergonhados diante da situação.

A birra infantil é mais frequente nas crianças entre um e quatro anos, e representa crises emocionais breves, intensas, marcadas por impulsividade e emoções descontroladas. Pelo menos uma vez ao dia a criança faz birra, mostrando seu cansaço, fome ou tristeza. A birra é a forma de comunicação das crianças para externar sua frustação diante do NÃO, dos limites impostos pelos pais e pela sociedade. Ela manifesta-se com mais frequência em crianças que percebem que, por meio dela, conseguem o que querem.

A birra ainda que vexatória para os pais não deve ser motivo para preocupação exagerada, pois ela não representa um problema de comportamento e sim uma característica do universo infantil. Não se trata de algo ruim e sim de uma construção da identidade e do desenvolvimento psicológico da criança. Ao contrário do que o senso comum e leigos pensam, crianças sem qualquer manifestação de birra são motivos de preocupação, não o inverso, pois as birras promovem o desenvolvimento do processo de individualização diante do mundo e expressão do “eu” da criança.

Infelizmente, não existe uma fórmula infalível diante da birra, tudo depende da situação e da criança. Assim, os pais, frente a este comportamento, devem se mostrar sempre calmos, solícitos, determinados e firmes, explicando por que não realizam o desejo da criança naquele momento.

 

Lucia Amaral

Psicóloga | Psicanalista

Atendimento Especializado em Adultos, Adolescentes e Casais

 

Consultório Granja Viana

Rua Adib Auada, 35 - Conjunto 106 - Bloco A

Telefone: 11 4551-3051

 

Consultório São Paulo

Avenida Angélica, 2100 – 11° Andar – Conj 113

Telefone: 11 3257-2519

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 3 de 11

Indique !