Moda
Vamos combinar uma coisa?

Fomos criados achando que os opostos se atraem. Uns, em busca da metade de sua laranja. Outros, à procura da tampa de sua panela. Mas a verdade é que o amor não escolhe pelo que somos, temos, fizemos ou deixamos de fazer: ele simplesmente acontece.

Feito mágica, somos entorpecidos por um sentimento que inunda cada célula do nosso ser. A vida fica mais colorida. O ar, mais puro. Ou, para uns, mais denso. O coração parece que se agiganta e toma espaços que não lhe pertencem. As vezes, parece até que irá sair pela boca! Isso é amor.

Então, que tal valorizar esse sentimento através do que vestimos?

Nada mais inspirador que um casal com uma sinergia no modo de se vestir.

Coordenar looks era, a princípio, uma questão que dizia respeito a irmãos gêmeos ou, no máximo, a mães e filhas. Mas ao que tudo indica, essa moda já invadiu, faz tempo, o closet dos casais.

Entretanto, combinar produções e criar uma igualdade, mesmo que sutil, respeitando o estilo e personalidade individual, é imprescindível. Para criar esta sintonia você pode escolher uma cor como base e brincar com as combinações de ambos. É possível  também escolher uma peça em comum e apostar na originalidade de cada um.  
Com o mundo fashion apontando para o retorno do unissex, fica cada vez mais fácil produzir looks que combinam entre si. O senso comum garante que os casais se aproximam pelos interesses semelhantes. Então, nada mais compreensível que a maneira de se vestir seja um deles. Roupas sempre exercem um papel importante na maneira como um parceiro se atrai pelo outro, especialmente, quando se trata de um primeiro encontro, não é verdade?

Ao contrário do que muitos pensam, combinar a roupa com o parceiro, seja na cor, no modelo ou no tecido, pode sim ser sinônimo de elegância e estilo. Não existe casal que faça tão bem essa combinação de contrastes como David e Victoria Beckham. Famosos pela classe e bom gosto, a dupla mostra como é in projetar no outro o conjunto perfeito para o seu look, ainda mais se a ideia priorizar o contraste de cores neutras, como o preto e branco.

Já alguns casais deixam de lado a divisão de bens e compartilham tudo, até mesmo o guarda-roupa. Aos poucos o estilo dos pombinhos fica cada vez mais parecido. Essa simbiose fashion rola desde a partilha de pequenos acessórios até mesmo de looks completos de jeans e camiseta descolada, por exemplo.

O fato é, que cada vez mais, as pessoas estão dispostas a compartilhar seus gostos, suas cores, seus amores, e mostrar ao mundo que juntos são mais fortes.

Conheça agora Bon e Pon. Ambos têm mais de 60 anos, estão casados há 36 e conquistaram a internet com os seus looks do dia a dia, sempre em sintonia, mostrando ao mundo que a moda é democrática e não tem idade. O melhor de tudo é que não combinam as roupas apenas se vestindo de forma igual. Preocupam-se em não tornar o hábito chato, repetitivo e sem criatividade. Dessa maneira, permitem com que seus looks se completem, assim como eles. E isso faz com que ganhem cada vez mais fãs pelo mundo inteiro.

Celso Finkler é publicitário e pós graduado em psicobiofísica.
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 
SPFW In-Pactos

Novos tempos. Assim como na política e na economia, a moda reflete o momento que estamos vivendo. A 43º edição do São Paulo Fashion Week, que aconteceu entre os dias 13 e 17 de março, no Pavilhão da Fundação Bienal, no Parque do Ibirapuera, apresentou o manifesto para o futuro In-Pactos, chamando as pessoas para acordarem e saírem de um passado sem volta.

Um chamado para abraçar o novo e exercer novos pactos.

Neste mundo em transição, onde a economia se reorganiza em novos sistemas produtivos, lidar com um cenário tão volátil exige novas estratégias, hábitos e comportamentos. A economia criativa se desdobra em economia compartilhada, de empatia e de afetos, colaborativa.

O universo da moda pede inovação. Moda é um híbrido entre produto criativo, cultural, social e econômico. Mais do que nunca é preciso reconhecer a imaginação como recurso ilimitado, infinito. Uma nova possibilidade para projetar novos horizontes.

Nesta edição da Tudo, trazemos para você toda essa transformação através do que iremos vestir.

Use. Ouse. Abra as janelas para as novas oportunidades de expressão. Reinvente-se.






 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 2 de 25

Indique !