Casa e Jardins
A arte dos Ofurôs Leia +

A sabedoria dos banhos de imersão

 

O banho de imersão é uma tradição antiga de vários povos. Além de relaxar o corpo, servem como tratamento terapêutico, dependendo do que se coloca junto da água. É ótimo para reflexão, e para um retiro, dedicando um tempo que é totalmente seu, algo raro atualmente.

Os ofurôs são uma antiga tradição do Japão, que os utilizava nos banhos públicos como uma forma de economizar água e evitar incêndios. O misogi, ato de purificar o corpo, era indispensável em cerimônias religiosas. Os efeitos benéficos da águas termais e SPAs já são conhecidos desde a Grécia e Roma Antigas. SPA é o nome de uma cidade Belga que oferece águas termais.

A maioria desses banhos são feitos nos ofurôs, um tipo rudimentar de sauna, que era feita sobre buracos escavados nas montanhas de pedras, onde se queimava folhas secas para aquecer o local. Após a retirada das cinzas, era colocada uma esteira com água do mar e o vapor se formava a partir desta água sobre as pedras aquecidas. Depois surgiu o kamaburô, que era um caldeirão e, somente na Era Edo que o ofurô como conhecemos hoje, foi utilizado.

Na Tóquio do Século XVII (Edo), o banho público era utilizado pelas famílias comuns, que eram proibidas de terem em casa seus ofurôs como medida de contenção de água e prevenção de incêndios.

 
Casas De Praia Leia +

Por Beatriz Dutra

 

As férias de verão chegaram. Para aproveitar os tão desejados dias quentes, a praia é o destino preferido onde o trio “sol, areia e mar” revigora corpo e espírito para passar o ano que se inicia.

Quando o assunto é propriedade no litoral, estar ciente de suas peculiaridades e diferenças em relação às casas urbanas é primordial e deve ser levado em conta do início ao fim.

Para quem está construindo ou reformando, recomenda-se que haja o máximo possível de integração entre interior e exterior, a fim de tirar proveito das paisagens ao redor e desfrutar de fato do ambiente litorâneo.

É recomendável que o interior da residência seja igualmente integrado, posicionando, por exemplo, a cozinha junto à sala de jantar e, se possível, também a uma área externa com entrada independente para a casa. Neste tipo de residência é ainda mais comum a circulação de pessoas e, por isso, pensar em áreas externas generosas com redes, decks com ombrelones ou pérgola com mesa para refeições é ideal.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 3 de 22

Indique !