Cuide-se
Faça sua energia fluir com o Lian Gong Leia +

Chegar ao máximo da sua vida sem dar trabalho aos outros, esse é um dos pensamentos dos chineses. Por conta disso, muito de sua filosofia visa a longevidade com saúde. E uma das práticas desenvolvidas por um chinês é a série de exercícios do Lian Gong. Lian significa treinar e Gon (kun), trabalho persistente.

O Lian Gong em 18 Terapias foi criado e desenvolvido em Shangai, na China em 1975, pelo Dr. Zhuang Yuan Ming, considerado um dos maiores ortopedistas da Medicina Tradicional Chinesa da época atual, tendo recebido vários prêmios pelos resultados relevantes em pesquisas científicas. O Dr. Zhuang combinou os conhecimentos adquiridos ao longo de sua vasta experiência clínica com outros saberes milenares extraídos do Dao In (ginástica terapêutica que consiste na indução da circulação do Qi e do Sangue),  manobras manuais baseadas na massagem terapêutica – Tui-ná, e de sua própria vivência em artes marciais, tendo como referência básica os princípios filosóficos e teorias que fundamentam as práticas corporais que integram a Medicina Tradicional Chinesa .

O Lian Gong em 18 terapias foi introduzido no Brasil em 1987 pela Profª. Maria Lucia Lee, que se dedica desde 1978 ao trabalho de pesquisa e ensino das artes corporais chinesas e sua filosofia. 

 
Pilates integrando familiares

 

O pilates é indicado a quem tem problemas posturais e dores em decorrência disso. Através de aparelhos, o pilates ajuda a tonificar a musculatura, emagrece, melhora o condicionamento cardiovascular e muscular, reduz ansiedade, stress e aumenta a autoestima. Mas poucas pessoas têm tempo para cuidar de si próprias. É muito comum pais deixarem suas vidas em segundo plano para cuidar dos filhos. E essa falta de tempo já começa quando o bebê nasce, quando a mãe só tem olhos para ele. Quando os filhos são mais crescidinhos, é hora de levá-los para as suas atividades e lá vão os pais pra cima e pra baixo fazendo tudo o que podem pelos filhos. Cuidar de si próprios não é mais prioridade.

Observado essas dificuldades, algumas profissionais criaram formas de não anular a vida dos pais para cuidar dos filhos. Sabe como? Colocando os dois juntos para praticar os exercícios do pilates.

A professora Marione Pires, do Studio Pilates Granja Viana percebeu essa necessidade quando seu filho Davi nasceu 5 anos atrás:

“Procurei alternativas para retornar as atividades físicas e comecei a adaptar os exercícios de pilates nos aparelhos junto com o Davi e vi que era possível voltar aos treinos de forma segura e ao lado do meu bebê.”

A história com a fisioterapeuta Fernanda Giuranno, do espaço Vida Ativa, em São Paulo, foi um pouco diferente. Fernanda começou a observar pais sentados na sala de espera enquanto os filhos faziam pilates. Ela pensou que os pais, que fazem tudo pelos filhos, poderiam participar da aula junto com eles, otimizando o tempo. Ela fez a proposta e alguns pais aceitaram. A ideia deu certo, unindo o útil ao agradável.

As duas propostas de pilates são distintas, mas ambas têm a mesma função de incluir atividade física e integrar pai e filho/mãe e filho, aumentando o vínculo entre ambos. No Baby Pilates a mãe faz os exercícios com o nenê sobre ela, de forma segura e auxiliando no fortalecimento da musculatura. Conforme ele vai crescendo, maior é o peso. Já na modalidade proposta por Fernanda, como são crianças entre 10 e 12 anos, é uma aula de pilates em dupla, cada um faz os exercícios no seu próprio aparelho.

“Hoje em dia é muito comum crianças terem dores nas costas por causa do uso excessivo de tablets, celulares e videogames. Tenho também pacientes com cirurgia, escoliose , etc.”, explica a terapeuta.

Atualmente Fernanda tem 3 duplas, dois pais e filhos e uma mãe e filho.

Segundo ela: “O interessante é que ao fazer um exercício, o pai estimula o filho a fazer igual.” É uma forma de cuidar da postura, aproximar familiares e otimizar o tempo.

Já o Baby Pilates trabalha a mãe e sua integração com o bebê. Os benefícios físicos, além dos já tradicionais do pilates são o fortalecimento dos músculos e regiões delicadas do Pós Parto, a diminuição dos inchaços e melhora circulação e além de proporcionar um melhor condicionamento muscular e cardiovascular. Os bebês, por sua vez, são estimulados na parte motora, pelo fato deles ficarem em várias posições durante a aula (deitados, no colo da mãe, sling e realizando movimentos juntos com a mãe).

Com o crescimento do bebê,  automaticamente seu peso aumenta, ajudando gradativamente ao tônus da mãe a voltar rapidamente. Outros benefícios são a redução do stress e o auxílio na prevenção da depressão pós parto.    Mas a mãe pode começar a fazer pilates antes mesmo de ter o seu nenê. Os exercícios são muito indicados para  grávidas, auxiliando as futuras mamães durante a gestação e parto.

Para finalizar, as duas experiências tem trazido bons resultados segundo as terapeutas,  pois existe maior interação entre as pessoas e retorno a vida social. “Percebo que as mães ficam realizadas ao saberem que podem treinar sem abrir mão de seus bebês e o sorriso deles durante a aula é gratificante, um divertimento”, finaliza Marione.

 

Fontes:

Prof. Marione Pires

Proprietária do Studio Pilates Viana

Av São Camilo, 1003 -1º andar

Tel: 42374818- 98305-0278

studiopilatesviana.com.br

 

Fernanda Giuranno e

Natalia Di Nizo Paschoal

Vida ativa – Fisioterapia e Pilates

Rua Borges lagoa, 971 sala 84 – Vila Clementino

Tel: 5084 3012

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 6 de 22

Indique !