É DO BRASIL! CAIPIRINHA: O DELEITE NACIONAL



De remédio caseiro a drinque mundialmente conhecido, a caipirinha é unanimidade de Norte a Sul do país

Ahhh, caipirinha nossa de cada final de semana... Refresca só de pensar! Onde tem alegria, lá está ela. Sua origem é incerta, embora existam várias versões para o seu surgimento. Independente de qual seja, deu certo. A bebida virou patrimônio nacional e ganhou o mundo. Tanto que, antes mesmo de aprender frases básicas em português, os “gringos” já chegam falando “caipiriUinha”, “caipiriUinha “desse jeito mesmo.

A TUdo trouxe um dossiê sobre a bebida e, ao final, uma receita deliciosamente refrescante para você surpreender a família e os amigos nos próximos churrascos.

Pegue a sua coqueteleira e venha com a gente!

Mil e uma versões

Brasil, começo do século XX. A Gripe Espanhola – pandemia que infectou um quinto da população mundial entre 1918 e 1920 – acabara de chegar às terras brasileiras. Como forma de amenizar o efeito devastador da doença – 35 mil pessoas sucumbiram a doença, somente aqui – uma receita de remédio caseiro a base de cachaça, limão, mel e alho começou a circular entre as famílias. O limão era utilizado por sua Vitamina C, já a função do álcool era acelerar os efeitos terapêuticos da mistura.

Naquela época, a maioria das cachaças eram produzidas na região de Piracicaba, interior de São Paulo. O nome “caipirinha”, teria vindo daí. Por outro lado, apesar de a versão da Gripe Espanhola ser a mais provável, não faltam teorias sobre sua origem. Uma delas diz que foram marinheiros estrangeiros que inventaram a mistura. Isso porque ao atracar no porto de Paraty, eles tomaram cachaça com limão para prevenir o escorbuto – doença provocada por falta de Vitamina C no corpo.

Consagração
A consagração da caipirinha veio, de fato, durante a Semana de Arte Moderna de 1922. Assim que provaram a bebida, os intelectuais modernistas a transformaram em símbolo da cultura gastronômica nacional. A partir daquele momento, o Brasil passava a ter um drinque para chamar de seu. Anos mais tarde, ela ganhou o mundo através das mãos do escritor Oswald de Andrade e da pintura de Tarsila do Amaral, que a levaram para Paris. Em 2003, um decreto presidencial regulamentou a caipirinha visando torná-la típica do Brasil. Assim, foi possível evitar que ela fosse patenteada por empresas estrangeiras.

Caipirinha, Caipiroska, Caipiríssima...
Variações dessa delícia é o que não faltam! A receita original é limão tahiti, cachaça e açúcar, entretanto, diversas receitas vem ganhando o coração dos “loucos por caipirinha”. A equipe da TUdo separou as melhores para você:

Caipiroska - Boa parte das pessoas já conhecem. A “Caipiroska” consiste em trocar a cachaça pela vodka, detalhe que muitas pessoas preferirem essa versão a original. A receita fez tanto sucesso que foi “comprada” pela Smirnoff, famosa marca de vodka.

Caipirão - É uma variação da caipirinha típica de Portugal. Ao invés da cachaça, é usado o licor beirão, típico de Portugal. O licor é preparado com diversas plantas (entre as quais o eucalipto, a canela, o alecrim e a alfazema) e sementes aromáticas, que são submetidas a um processo de dupla destilação.

CaipiríssimaAqui, a diferença é a troca da cachaça pelo Rum Bacardi. O termo “Caipiríssima” foi registrado pela Bacardi.

5 dicas para uma caipirinha “daquelas”:

  • Use cachaça branca – A versão envelhecida da bebida adquire notas de sabor da madeira em que foi fermentada, deturpando a pureza da caipirinha;

  • Corte o limão no exato momento do preparo – Se a fruta for separada com antecedência pode oxidar e afetar a bebida;

  • Não tire a casca do limão É nesta parte que ficam seus óleos essenciais, responsáveis por dar sabor à bebida.

  • Não se preocupe com o miolo do limão – Assim como a casca e a polpa, esta parte é composta por pectina, substância que não contamina o gosto do drinque.

  • Use açúcar demerara – Com coloração marrom-clara, o açúcar demerara passa por um refinamento mais leve e não tem aditivos químicos. E apesar de ter menos “doçura” do que o refinado, deixa a caipirinha mais saborosa.

REFRESCÂNCIA EM 3,2 1...

Caipirinha de lichia e cerejas frescas

Ingredientes
1 dose de cachaça prata
2 lichias
1 colher de sopa de açúcar
Gelo

Modo de preparo
Junte as lichias, o açúcar e macere suavemente. Acrescente o gelo, a cachaça e misture tudo em uma coqueteleira.

Mas ó: se beber, não dirija!



 

Indique !