Encontro com a Arte e a Alma do Artista

Sempre que saio Brasil e Mundo afora não garimpo apenas pontos turísticos, hotéis luxuosos e eventos de alta qualidade; garimpo também verdades de pessoas especiais.

Muitas vezes, ao provar o tempero de alguém, consigo chegar bem perto dos sentimentos envolvidos na produção de uma determinada gastronomia e a emoção toma conta de mim. Ao tocar em uma renda do nordeste brasileiro, ou numa pura seda do oriente, sinto a entrega das mãos que as criaram e mais, entendo o quanto aquela beleza alimenta famílias e cria sonhos. Merece todo o valor.

Ao entrar numa Oca do Amazonas, num Palácio da China ou numa Pirâmide Maia do México sinto a energia de quem um dia ali vive ou viveu, construindo aquele lar voltado a algo maior.

 Assim acontece com a Arte. Já tive encontros especiais com as obras de escultores, instaladores e pintores fantásticos como agora na Colômbia com Botero, no Malba com Tarsila, em Punta Casapueblo com Vilaró, em Inhotim com Cildo Meirelles e Adriana Varejão, ou mesmo nos clássicos e contemporâneos Museus D'Orsay, Uffizi, MOMA, Prado, Tate e MASP com Monet, Renoir, Van Gogh, Klimt, Chagall, Michelangelo, Tintoretto, Picasso, Dali, Velazquez, entre outros grandes mestres.

Dessa vez, ao garimpar o Rio Grande do Norte, bati de frente com uma arte que tocou-me profundamente: a obra de Demetrius Montenegro.

Sou um apaixonado pelos quadros e obras dos brasileiros Isabelle Tuchband, Gustavo Rosa, Sami Akl, Caribé, Sansão Pereira, Poteiro, JC Canato, Rogerio Dias, Verena Matzen, Luciano Martins e Aldemir Martins, que já fazem parte de meus espaços e templos pessoais valorizando-os sempre que posso, gritando a sete ventos o melhor que temos em nossas terras.

Demetrius apresentou-me algo que eu não conhecia; apresentou-me o intenso, novo e difícil de relatar. Sua obra vem como a explosão de alguém que segue de forma tranquila seus dias. Uma energia interior escondida, escancarada em emoções.

Suas cores e suas figuras estão sempre vivas e explodindo na tela, gritam e invadem nossos ambientes. São encantadoras, poéticas e, ao mesmo tempo, enigmáticas.

Um expressionismo mesclado ao estilo Naif com um DNA bem brasileiro.

Assim tive a oportunidade de ver Demetrius Montenegro pintando e criando esse universo em suas telas.

Agora, garimpamos juntos pela Guatemala e vivenciamos experiências com verdades locais num país onde as cores fazem parte do dia a dia de TUdo e do todo. Um encanto para a simplicidade de um povo herdeiro de tamanha história indígena.

Hoje, Demetrius possui obras espalhadas pelo mundo afora e seu oxigênio são suas telas e suas tintas. Conecta seu equilíbrio espiritual com o momento e dali esperamos os mais fantásticos resultados. Vale ressaltar que o artista é um autodidata, aprendeu com suas inspirações.

Trouxe agora sua obra para São Paulo, afinal, tamanha arte merece estar à vista de todos.

Garimpar é permitir-se conhecer as diversidades que o Universo apresenta,  de coração e braços abertos. Garimpar é viver intensamente a oportunidade do novo, trazendo para si o melhor do que cada história tem para contar.

Vamos espalhar harmonia, vamos espalhar felicidade, vamos espalhar o melhor de nossos pincéis!

(Acesse o insta @atelie_montenegro)

 

 


Marcelo Sampaio

Apresentador e Consultor Mercado Premium

(11)3021.0116 / 99979.1784

www.marcelosampaio.com - @garimpando.life



 

Indique !