Cortar carboidratos e fazer jejum. Loucura ou estilo de vida?


Dieta Low Carb


Desenvolvida a partir de pesquisas cientificas que comprovaram que o consumo de carboidratos, especialmente os refinados, é mais ofensivo ao acúmulo de gordura visceral do que a própria gordura saturada, a dieta low carb propõe a redução (e não a proibição) no consumo deste composto. Ou seja, recomenda-se a alimentação baseada em verduras, legumes e proteína, mas com moderação – 70% verduras e legumes e 30% proteínas.

E os dois principais objetivos que uma dieta low-carb ajuda a atingir (por serem os dois objetivos mais buscados por quem inicia esse estilo de alimentação) são tratar/curar doenças crônicas como diabetes e gordura no fígado e, claro, emagrecer.

Basicamente, a dieta consiste em:

  • Cortar açúcar;

  • Eliminar grãos (especialmente trigo e soja);

  • Evitar raízes ("tubérculos", em especial batatas) se você precisa perder muito peso (caso contrário, não);

  • Optar por comida de verdade, ou seja, descasque mais e abra menos embalagens.

  • Não consumir gorduras artificiais (margarinas) e evitar as refinadas (óleos extraídos de sementes);

  • Perder o medo da gordura natural dos alimentos. O bacon e a gordura da picanha estão liberados!

Este tipo de dieta traz vários benefícios auxiliares ao emagrecimento, como a melhora da sensibilidade à insulina, e uma maior saciedade (isto é, é uma dieta em que você não passa fome), por exemplo. Isso porque em casos de restrições extremas de carboidratos (menos de 10% das calorias diárias), seu corpo entra em um estado chamado de cetose, que proporciona grande queima de gordura e é capaz de melhorar até mesmo quadros clínicos.

Jejum intermitente

Antes de mais nada, é importante ressaltar que o jejum intermitente não é considerado uma dieta, por não incluir alimentos. O período sem ingerir nenhum tipo de comida é visto com bons olhos por médicos e nutricionistas. Isso porque com a popularização da dieta low carb, onde se come menos produtos industrializados e mais “comida de verdade”, a orientação é que se coma, somente, quando tiver fome.

O primeiro resultado do jejum claramente é a perda de peso. A queima de gordura se dá, principalmente, porque regulariza os níveis de açúcar no sangue, hormônio que armazena a gordura. E essa queima de gordura acontece sem a perda de massa muscular, porque o jejum eleva o hormônio do crescimento, que previne a queima dos músculos.

Segundo um especialista da área, para que haja resultados é preciso ficar em torno de 12 horas sem comer. O protocolo que costuma ser usado neste caso é o 16/8, que consiste em o paciente ficar 16 horas em jejum e logo depois fazer todas as refeições num período de 8 horas.

Vale ressaltar que o jejum não é utilizado somente para perda de peso. Há casos de diversas pessoas que adotam o jejum como estilo de vida e fazem somente duas refeições por dia, sempre de maneira saudável, acompanhada de profissionais capacitados e claro, observando os sinais que o corpo dá.

Como sempre falo por aqui, dieta é igual roupa, é preciso experimentar e ver o que funciona no seu corpo. Seja qual for sua escolha, vá ao médico antes e faça um check-up.

Saúde em primeiro lugar.



Médica, Dermatologia Cosmética, Envelhecimento Saudável, Saúde Integrativa, Emagrecimento e Performance

Dra. Silvia Takakuwa (CREMESP 87.464)



 

Indique !