Japão: tradição e modernidade juntas num único destino

Doze horas a mais. Será esse o motivo de um país como o Japão estar tão à frente de nossa cruel realidade?

Civilidade, educação, respeito e cultura são elementos indispensáveis para o crescimento de qualquer povo e qualquer nação.

Pela segunda vez, garimpei o país do sol nascente; desta vez muito bem acompanhado de minha família. Indescritível a sensação de ir para tão longe em busca de novidades junto daqueles que tanto amo. Extraordinário apresentar ao meu filho a evolução verdadeira de todo um povo dotado de equilíbrio pleno.

O Japão merece elogios infinitos, afinal de contas, não estamos acostumados a andar por ruas absolutamente lotadas de gente e, ao mesmo tempo, completamente limpas e organizadas. Não estamos acostumados com preços iguais de produtos iguais, independentemente da localização e do status do local em que são comercializados. Não estamos acostumados a perguntar a desconhecidos um determinado caminho receber dele o ato gentil de nos acompanhar até o destino desejado. Enfim, acho que, na verdade, estamos desacostumados com tudo aquilo que seria óbvio e correto num convívio social.

Poder visitar templos, palácios e santuários centenários ou milenários e, ao mesmo tempo, caminharmos entre contemporâneos edifícios com designs alucinantes é algo inexplicável. Assim tivemos experiências em Tóquio e Osaka, duas megametrópoles futuristas.

Cidades mais clássicas como Kyoto, reduto das autênticas gueixas japonesas, e Nara, maior centro budista do país, já apresentam ambientes mais comportados e tradicionais, também dotados de tamanha beleza e muita história local.

Os japoneses são bastante dedicados e minimalistas e lá conseguimos observar muito bem essa característica no artesanato apresentado e na gastronomia oferecida. Um verdadeiro luxo. Detalhe do detalhe. Tudo encantador e delicioso!

A hotelaria especial, sempre entrega toques e mimos bem típicos de forma bastante sofisticada e elegante, deixando-nos mais do que satisfeitos.

 A Kangaroo Tours conduziu nossa jornada com maestria,  num roteiro boutique costurado a mão; foram quase vinte dias garimpando inúmeras belezas com todo expertise que uma agência/operadora Triple A possui.

 Um dos momentos mais especiais foram os dois dias que vivenciamos a autêntica experiência de uma casa japonesa, num Riokan, em Hakone, uma cidade no alto da montanha, bem próxima ao Monte Fuji. Um frio danado caiu sobre nós e a sensação de poder correr e brincar na neve num cenário tão espetacular, com uma hospedagem para lá de confortável e primorosa, foi realmente mágico. Cenas que não apagaremos jamais de nossas memórias.

O exemplo do entendimento do pós-guerra em Hiroshima, transformando a dor em aprendizado e evolução, é algo que está impresso no ar da cidade e do país. Amaria ter o mínimo desse espírito evoluído para lidar com minhas frustrações. Lá aprendi mais um passo dessa conquista.

Assim como os Tsurus, que são o símbolo da saúde, da boa sorte, felicidade, longevidade e da fortuna, a fé que contemos em nosso íntimo pode ser transformadora, basta sabermos conduzi-la da forma mais correta.

Conta a lenda japonesa que o Tsuru pode viver até mil anos. É considerado o pássaro companheiro dos eremitas que se refugiavam nas montanhas para meditar, acreditando possuírem poderes sobrenaturais para não envelhecer.

Vamos em busca desse não envelhecimento do espírito e da mente, presenteando nossos corpos com as melhores das intenções.

Que a Paz e a Luz dessa filosofia possa contagiar-nos a cada dia, a cada hora, a cada instante, infinitamente.



 





 

Indique !