As Dores da Alma Leia +


Caminhar por Salvador é como se caminhássemos num livro de Jorge Amado, como se flutuássemos numa canção de Vinicius e Caymmi, como se estivéssemos sendo o tempo inteiro abençoados por Mãe Menininha.

Caminhar pela Barra, avistar seus Fortes e perceber o olhares que admiram aquele horizonte é fascinante. Não é a toa que Pierre Verger, ou Fatumbi seu nome religioso, retratou esse povo com uma realidade bela e mágica.

A Capital baiana brilha, explode em festas e alegrias. Uma cidade de alegrias para todos o tempo inteiro.

Janeiro abre com um mar azul intenso e ensolarado, seguido da Festa de BoaViagem, Festa de Reis, Lavagem do Bonfim, Festa da Ribeira e Festa de São Lázaro. É festa que não acaba mais, isso pra não falar daquelas que explodem em fevereiro como a celestial festa de Iemanjá e logo depois o fabuloso Carnaval. Meu Deus quanta força no ar!

Um universo de celebrações realizadas por um povo que ama receber. Amo chegar nessa terra e ser recebido pelos soteropolitanos: Axé Meu Rei! Sim o povo abre os braços com um sorriso escancarado no rosto. O imenso Bambuzal do aeroporto envolve-nos como meninos da Terra Mãe.

Estar em Salvador é também saborear tudo aquilo que a Bahia prepara de melhor por mãos abençoadas como as de Tereza Paim(Casa De Tereza) , Beto Pimentel(Paraíso Tropical), Edinho Engel(Amado), Andrea Ribeiro(Mistura), família de Ivone Oliveira(Ki-Mukeka), entre tantos outros maravilhosos. Uma comida de DNA único, com heranças, com sentimento e marcante. Ninguém jamais se esquece da comida baiana.

Quantas pessoas já não ouvi contar sobre casos e casos vividos por essas terras , de Itapuã a Barra, do Pelourinho a Ribeira, do Rio Vermelho a Pituba. Quantas experiências vividas por todos, experiências inesquecíveis. Algumas transformaram-se em amor e casamento, hahaha.

Sair de barco pela Marina e aportar numa praia da Ilha dos Frades é um presente divino, onde TUDO acontece na mais elegante simplicidade dos pescadores locais, das famílias que vivem ali sua mágica e lúdica realidade. Um paraíso tão perto de todos.

Para descrever Salvador e os sentimentos que essa cidade nos traz seria preciso páginas e mais páginas sem tempo e sem limites. Para descrever Salvador seriam necessárias milhares de pessoas que expressassem seus diversos sentimentos de amor.

Ao entrar na casa de Jorge Amado e Zélia Gatai, hoje um belíssimo e emocionante museu chamado “Casa do Rio Vermelho”, podemos entender o verdadeiro amor que um baiano tem por seu canto, por seu pedacinho de chão e disso criar e criar e criar, o melhor digamos de passagem. Ao sentarmos com a linda baiana Gesse Gessy, última esposa de Vinicius de Moraes percebemos o que fez o poeta compor uma Tarde em Itapoã. O amor explode para todo lado, por todos os cantos, banhado de Dendê e Água de Coco.

“Cira, manda meu Acarajé, minha Punheta de Estudante e meu doce de Tamarindo,a companhados de uma boa Capirinha de Umbu com Ciriguela que chegou a hora de sentar num cantinho com muita brisa e curtir o melhor desse lugar!”

Estamos prontos para 2017!

 

Mercado LuxoMarcelo Sampaio

Insta: garimpando.life/marcelosampaio13 55 11 3021.0116 / 99979.1784,Apresentador, Blogueiro, Produtor e Consultor Mercado Luxo

 

 

Indique !